Linguagem[+]

sábado, 10 de novembro de 2018

BALNEÁRIO PIÇARRAS, SC - BR RECEBE CERTIFICAÇÃO "BANDEIRA AZUL"

Balneário Piçarras - web

     Recebi do nobre amigo e irmão Jaime José Moura, alvissareira matéria que me fez feliz! Jaime é genro do saudoso Lélo Macedo, ex-prefeito de Piçarras – uma pérola incrustada do coração da Enseada do Itapocoróy, que abriga também minha pequenina pátria Armação do Itapocoróy. Na notícia sobre Balneário Piçarras, hoje administrado pelo preclaro prefeito Leonel Martins, meu amigo fraterno de longínqua data, consta que essa praia será uma das seis cidades, apenas, do País a ter a certificação "Bandeira Azul" à balneabilidade para a temporada de verão 2018/2019. 

    O reconhecimento veio de um programa internacional, que promove tais certificações ambientais para praias, marinas e embarcações. Esse feito eleva as expectativas do município para intensa atração turística no próximo veraneio. Além da Praia de Piçarras, apenas outros seis balneários e cinco marinas brasileiras receberam tais certificações conferidas pela referida entidade, entre várias unidades participantes do Programa  ”Bandeira Azul” por atenderam aos critérios estabelecidos pela organização internacional não-governamental sem fins a lucros FEE Found ation for Environmental Education). É um certificado que muito honra e prestigia o lugar e circunvizinhança, bem como honra os habitantes dessa região, e principalmente, os intrépidos homens do mar, pescadores artesanais que tanto zelam e fiscalizam nossa estimada costa e o mar sem fim dos mesmos. Para marcar esse feito em homenagem à querida cidade por onde palmilhei meus primeiros passos, fiz um poema em décimas do Cancioneiro Ibero-português – uma das mais antigas formas poética-literárias e universais, quase atemporais, que tomaram corpo no séc. XII, em Portugal, com Dom Dinis – O Rei Trovador. Depois voltaram mais intensas no séc. XVI, com Luiz de Camões em seus poemas narrativos, vindo a potencializarem-se atualmente, ao serem resgatadas como forma literária pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, que as catapultou à voga atual, para diversas partes do mundo de línguas portuguesa e espanhola. Essas décimas os colonizadores portugueses trouxeram consigo ao litoral catarinense como à região de Penha, Centro Baleeiro, e se difundiram tanto em poemas de bendizer quanto em pasquins difamatórios. Meu tio-avô, Inácio de Souza, pai de Cláudio Bersi de Souza, escritor atual com mais de trinta livros editados, compôs algumas delas, as quais meu avô materno, irmão de Inácio, declamava-as. Assim, com elas, eu homenageio elas próprias, homenageio a língua portuguesa, a Academia Catarinense de Letras, entidade pública de todos os catarinenses, que no último dia 08/11/2018, em Sessão de Saudades, declarou vaga a Cadeira 22 que era ocupada ainda pela memória do Acadêmico Antônio Carlos Konder Reis, cujo edital para preenchimento da vaga será publicado pelo Diário Oficial, possivelmente no início do ano vindouro, após formalidades jurídicas e registros em cartórios. Porém, na verdade, com essas décimas, estou a homenagear, em primeiro lugar e principalmente, à querida cidade de Balneário Piçarras, que tanto a amo, terra de Antônio Pires, antigo comerciante que tanto ajudou meu pai e quantas vezes fui de boleeiro em carrocinha de um cavalo só, buscar mercadorias em seu armazém para suprir nossa vendinha em Armação. O armazém do rico comerciante situava-se à beira do mar, para suprimento por via marítima, ao fim da primeira estrada de acesso à praia, que partia da rua principal, ao pé da primeira subida e depois de um enorme banhado piçarrento onde à época estavam aterrando (aproximadamente 1949), que seguia desde de o Rio Piçarras até à travessa referida.


PIÇARRAS TOGADA DE AZUL
Autor: Laerte Tavares 

Eu já cantei Armação!
Hoje cantarei Piçarras,
Pérola de unhas e garras
Incrustada ao lindo vão
Que vai de Penha ao costão
Da Ponta do Jacques; vem
A Barra Velha, além,
Outra belíssima praia
Onde um rio lindo se espraia
Na barra que o contém.

Mil oitocentos e vinte
Auguste de Saint Hilaire
Viu Piçarras, qual mulher
Cuja beleza e requinte
Era ao homem, forte acinte
Por visão provocativa
insinuante, e cativa
Ele, e também àquela
Tripulação ante à tela
A insinuar-se à comitiva.

Do mar, aproaram à costa
Para enxergar mais de perto 
Aquele porto deserto
Que aos argonautas se posta 
Como uma santa proposta
Ao desembarque na areia.
Mas sentido a maré-cheia,
Rumaram para Armação
Que recebe a embarcação
Não feita uma terra alheia.

Piçarras teve um seu filho,
Filho de historiador!
Um excelente escritor
Seguidor d'atávico trilho,
Que ao cantar luz e brilho
Dessa sua pátria amada
E d’ínsula dessa enseada
De nome Itacolomy,
Cantou lenda que por si,
Faz da ilha, índia encantada.

Da Silva - Luiz Ferreira:
Chimboca, o imortal, fez  
Lindas lendas, que talvez
Seja a história verdadeira 
À alma sua, praieira, 
Também filha da enseada
Onde essa Ilha Encantada
O representa num sonho
Tão sonhado; e eu proponho
Que o sonhem! Não custa nada!

Cantem Piçarras - seu mar!
Cantem como certo hino
A um paraíso divino,
Berço de luz a banhar
A linda praia, sem par
No Brasil e no exterior.
Cantem este canto de amor!
Cantem cada canto e encanto!
Cantem como canta um santo
À graça de uma linda flor!

 Flor do Mar – a Flor de Luz,
Flor suprema entre flores,
Cujos seus veneradores
Regam-lhe para fazer jus
Ao seu brilho, que os seduz.
Mas eles não têm ciúmes
Das cores e dos perfumes
Que a flor cede aos visitantes,
Por ser generosa, antes

28 comentários:

  1. Muito lindo canto à Piçarras! Beleza! abraços, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Um poema muito bonito a um local que a julgar pela foto faz jus ao seu canto.
    Abraço e bom domingo

    ResponderExcluir
  3. Querido amigo, adorei tudo o que aqui descreves, pois nunca tinha ouvido falar do balneário de Piçarras, apesar do Brasil ser a minha 2a pátria. O poema que lhes dedicas é uma maravilha, amigo, Foi uma novidade para mim saber que as praias aí também são classificadas com a " bandeira azul " aqui em Portugal é assim que se classificam. As praias que conheço mais ou menos bem são algumas do Rio e de Santos, Caraguatatuba e Ubatuba e este anom quando lá fui, vi que a grande maioria está imprópria para banhos; uma pena! Laerte, peço desculpas pela minga ausência, mas o nascimento da minga netinga tirou-me algum tempo e por isso as minhas visitas ficaram mais raras. Obrigada pelas informações interessantissimas que aqui nos dás e desejo-te tudo de bom, principalmente, muita saúde. Um beijinho
    Emilia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo...ano..minha..bandeira azul; aqui em...
      Desculpa. Bjo
      Emilia

      Excluir
    2. Sempre fantástica a sua poesia!
      Obrigada por me dar a conhecer!
      Bom domingo!!!

      Excluir
  4. Uma 'reportagem' narrada poeticamente! Momento para ler e aprender. Obrigada!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Balneario hacia el sur del Brasil, que bien haces de él memoria histórica, y atracción actual, con la belleza de tu lirismo. Provoca estar ahí, en esa leninidad de playa, al leer tus versos, Silo Lirycal. Un abrazo

    ResponderExcluir
  6. Pelo que escreve, percebo que o galardão "bandeira azul" é algo recente aí no Brasil. Por cá, a Bandeira Azul já é hasteada há vários anos nas praias que cumprem os requisitos (ambientais e de serviços). Na minha região, o Algarve, há 89 praias que receberam bandeira azul em 2018.
    Acho muito bonita essa homenagem poética que faz. :)

    ResponderExcluir
  7. Olá, querido amigo Laerte!

    Mto grata por sua visita e tão nobre e poético comentário.

    Adorei seu entusiasmo por sua amada terra, pelas praias (bandeira azul já há mto, que existe em Portugal, nas praias de confiança, com vigilância e águas limpas), pelos balneários, pelos seus familiares diretos e indiretos, pela ligação histórica de nossos dois países e pelo desenvolvimento turístico, que essa zona, Piçarras, terá ou já tem mesmo. Entendo seu encantamento.

    Excelente poema, onde põe seu coração e sua pena (caneta), correndo ao sabor de suas emoções e sentimentos. O sinto tão feliz e orgulhoso! Me associo, claro, a todos esses acontecimentos e à sua alegria.

    Beijos para você e pra tua linda Piçarras.

    ResponderExcluir
  8. Meu caro Laertamigo

    Já aqui a Emília, a Céu e a Luísa te informaram que a Bandeira Azul já existe aqui em Portugal para premiar as praias com maior qualidade por toda a costa oceânica.

    Pelo que escreves é novidade aí no teu e nosso Brasil e em particular nessa cidade de Piçarras que tanto amas e que motivou um poema encantador. Mais ainda, como português e sempre defensor do nosso Português, registo tudo o que escreves sobre o Rei Dom Dinis, autor de trovas de amor, de amigo e de escárnio e de mal dizer.

    Mas também tenho aqui de relembrar que alem de trovador, Dinis também ficou conhecido como o Lavrador.
    E por isso tenho absolutamente de transcrever o poema do grande Fernando Pessoa na sua Mensagem com o título
    D. DINIS

    Na noite escreve um seu Cantar de Amigo
    O plantador de naus a haver,
    E ouve um silêncio múrmuro consigo:
    É o rumor dos pinhais que, como um trigo
    De Império, ondulam sem se poder ver.

    Arroio, esse cantar, jovem e puro,
    Busca o oceano por achar;
    E a fala dos pinhais, marulho obscuro,
    É o som presente desse mar futuro,
    É a voz da terra ansiando pelo mar.


    É lindo. Creio que concordas...
    E muitos parabéns pela excelente e sentida homenagem que fazes a Piçarras.

    Um abração deste teu amigo portuga��
    Henrique, o Leãozão��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado amigo Henrique, minha gratidão por tão importante comentário e por teu respeito ao venerável mestre Dom Dinis de quem sou, à memória sua, seu mais humildíssimo e subalterno vassalo por juramento de fé ao seu legado. Lindo poema de Pessoa, outro ídolo meu! Veja, da minha pequenez, a homenagem que tentei depositar à base do colossal pedestal de meu Rei, sem arvorar-me a chegar aos seus pés! Ele foi "o cara"! Endereço neste mesmo blog:
      https://silolirico.blogspot.com/2016/10/hoje-e-dia-de-don-dinis-o-rei-trovador.html
      Quanto à "Bandeira Azul", cá, já existe desde 2004, mas quando um balneário consegue, é uma festa! Primeiro, porque sem precisar não buscavam e agora que precisam, ainda estão à procura do "caminho das pedras" - com os projetos bastante exigentes! Grande abraço, meu nobre e fraterno amigo! Laerte.

      Excluir
  9. Um local que gostaria de visitar.
    Parece paradisíaco.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderExcluir
  10. Que poema tão lindo! Já o li várias vezes e sempre o vejo com olhar diferente. Muito obrigada

    ResponderExcluir
  11. Bom dia, amigo Laerte
    Começo por dar os parabéns a esse local pelo facto de ter bandeira azul:isso dá sossego a quem frequenta o local e é motivo de orgulho para todos os seus habitantes e/ou naturais.
    Depois, quero felicitá-lo pelo seu poema- bela homenagem à terra amada!
    Votos de uma excelente semana.
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderExcluir
  12. Tudo tão poético, meu Amigo. Gostei mesmo de o ler.
    Obrigada pelo seu comentário tão poético também.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  13. ¡Hola Maestro!

    Exquisitamente logrado ese gran poema, inspirado en esa preciosísima playa balneario de bandera azul. Así es como deberían ser todas.
    Todo un placer pasar por este especial y bello rincón.
    Te dejo mi felicitación y mi gran estima.

    Se muy, muy feliz.

    ResponderExcluir
  14. Muito bonito, Laerte! É o primeiro poema seu que leio. Imagino só o que vem por aí..

    ResponderExcluir
  15. Piçarras esta de parabéns pelo galardão e pelo poema do amigo Laerte.
    Abraço

    ResponderExcluir
  16. Estive a reparar na construção das suas décimas
    em heptassílabos - a nossa Redondilha Maior -
    em métrica impecável e em rima emparelhada e
    interpolada... Estrutura perfeita, Laerte.

    Grandiosa e belíssima homenagem a Piçarras!
    O amor a um encantador torrão natal praiano
    e à sua gente, é algo que nos enriquece em
    todos os aspetos.
    Foram momentos de leitura muito agradáveis
    que agradeço.
    Abraço, Amigo.
    ~~~

    ResponderExcluir
  17. Querido poeta Laerte, nossa, que alegria ler aqui sobre essa praia, a visitei já faz 9 anos, que coisa boa quando se lê sobre os lugares que tivemos o prazer de conhecer!
    Entendo e sinto o seu entusiasmo, que alegria iaso, nem é à toa que tivestes a linda inspiração em compor os belos versos desse magnífico poema!
    Piçarras, quando estive por ai, fui também em Camboriú, Bombinhas, entre outras praias lindas do Sul!
    Energia boa por aqui, aliás, muito boa mesmo!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  18. Meu caro amigo Laerte. Foi com prazer que tomei conhecimento da tua homenagem a Piçarras, por ter se tornada “Bandeira Azul “ em balneabilidade nesta época que se tem dado tão pouca importância ao “ Meio Ambiente”. A tua verve poética se expõe de forma brilhante,nestas décimas tão bem construídas. Um grande abraço e que Deus te conserve sempre, um grande poeta. PAULO

    ResponderExcluir
  19. Bellas letras y la foto preciosa...saludos amigo.

    ResponderExcluir
  20. Excelente sensibilidade do meu amigo para escrever que nos deixa maravilhados.
    Esse lugar que a imagem demonstra, que lugar para passar uns dias e percorrer essas praias!
    Abraço

    Olhar D'Ouro - bLoG
    Olhar D'Ouro - fAcEbOOk
    Olhar D'Ouro – yOutUbE * Visitem & subcrevam

    ResponderExcluir
  21. Viva, Laerte

    Homenagens várias aqui nos oferece. Ao balneário Piçarra, sendo a 6ª praia com esse galardão numa terra enorme como o Brasil é deveras motivo para grande contentamento: ao rei, trovador e lavrador, D. Dinis; ao nosso grande poeta Camões; à Academia Catarinense de Letras; ao comerciante Antônio Pires; enfim,

    UMA GRANDE HOMENAGEM À LÍNGUA PORTUGUESA QUE ENCERRA COM CHAVE DE OURO ATRAVÉS DESSE SEU BELO POEMA.

    Muito obrigada pela parte que me toca, Meu Amigo.

    Grande abraço

    Olinda

    ResponderExcluir
  22. Magnifica e merecida homenagem a Piçarras, e à Certificação que lhe foi atribuída... curiosamente, aqui na localidade onde moro, Piçarras é o nome de uma das fontes... que caracteriza a mesma... pois antigamente, era daqui da região, que tinha origem, a água para consumo na nossa capital, em Lisboa...
    Adorei a imagem, que também me deu a noção da beleza de Piçarras, em toda a sua extensão!
    Um grande abraço!
    Ana

    ResponderExcluir
  23. Ola Laerte!
    Que lindo poema e que lindo lugar, não conhecia...
    Muito obrigada pelas belas palavras de felicitação.
    Abraços.

    ResponderExcluir