Linguagem[+]

sábado, 17 de novembro de 2018

A SAGA DO IMIGRANTE AO BRASIL DO SÉC. XIX

LINDA PRAÇA EM FAGUNDES VARELA - WEB


Hoje, a cidade de Fagundes Varela/RS se engalanou com a finalidade de receber integrantes da família Moreschi que lá chegou há cento e trinta anos para  se integrar a outras etnias e fundar uma pequenina pátria, remanescendo na Itália, parte dela, cujo ramo que se dedica à indústria calçadista, os seus membros figuram como sendo os maiores exportadores do país para os Estados Unidos da América do Norte, dos famosos sapatos italianos.
As viagens marítimas e os descobrimentos dos nautas portugueses no séc. XIV deram o “Novo Mundo” ao mundo, e ao “Velho Mundo”, deu aquele, novas perspectivas às vidas de quem o habitava, assim como deu oportunidades aos habitantes de todo o planeta - muda o mundo, pelo novo mundo!
Cidadãos europeus do séc. XIX, sentindo seu continente em crise, com o ideal de encontrar na América melhores condições de vida, embarcaram, no início de emigração provocada, com suas famílias em navios a vela enfrentando penosas viagens com duração de dois meses ou mais, em busca de horizontes novos no “novo mundo” para eles e aos seus vindouros.
  Muitos filhos da Itália, mais tarde, deixaram o torrão natal para trás, esperançosos de uma nova vida mais próspera. Do Porto de Gênova, terra de Colombo, embarcaram depois mais ao fim do século, muitas famílias italianas com destino ao Brasil, já ao domínio das novas invenções, em navios de máquinas a vapor, mais velozes, que ora cruzavam o oceano na metade do tempo dos antigos a vela. Entre tantas, em 1888, uma veronesa família de nome Moreschi,  singrou à América - o sonhado “ramalhete de flores”, cujo destino final seria o Sul do Brasil. Instalou-se, após longa saga marítima, fluvial e terrestre, no coração do Estado Rio Grande do Sul, na colônia de Alfredo Chaves. Por haver uma cidade de mesmo nome no Estado do Espírito Santo, a cidade gaúcha mudou, seu nome de Alfredo Chaves para Veranópolis. Mais tarde, o local onde os Moreschi se instalaram foi desmembrado de Veranópolis, como novo município e recebeu a denominação de Fagundes Varela, em homenagem ao grande poeta brasileiro. Ramos da família referida, mais crescida, expandiram-se para Santa Catarina e mais tarde, com maior número da prole, para todo o país e para o mundo. De seus membros, tive o privilégio em receber uma Moreschi por esposa que me deu um filho. No momento presente, após quase um século e meio, a família Moreschi promove mais um encontro de seus descendentes, desta vez para comemorar os cento e trinta anos de imigração, no local onde foi o começo de tudo, a pequenina pátria que serviu de berço aos seus, e conserva as memórias de tantos.

SAGA DO IMIGRANTE
Ao meu filho Arthur Moreschi Tavares

Europa, mil e oitocentos...
Com seus países em crises
Enormes e com matizes
Trevosos nos firmamentos,
Países, em passos lentos,
Caminhavam para um fundo
De abismo imenso e profundo!
E a Itália, viu o seu povo
Clamar pelo mundo novo
Ao rumo do Novo Mundo! 

Antecipou-se Verona
De gente audaz e aguerrida
Para buscar nova vida,
Sob o amparo de Madona
Mãe de Deus, na virgem zona
Cita América, e Portugal
Oferecia um local, 
De uma forma inteligente,
Que era o Brasil, a essa gente  
Que buscava isso, afinal!

Assim, fez-se um contingente
De famílias veronesas
Como a MORESCHI, de acesas
Almas, razão, fé e mente,
Que de início, já se sente
Apta para enfrentar
Os mistérios do além-mar
Descritos em brutais sagas,
Para ganhar novas plagas
Nesse sonhado lugar!

A América! E ela fez-se em porto
Na manhã de céu azul,
Já no Rio Grande do Sul.
Do mar, ainda absorto
O povo teve o conforto
Da paz, mas logo inicia
Uma nova romaria
Sob cantares de aves
Exóticas, e em Alfredo Chaves,
Funda a sua  freguesia!

Quase há século e meio...
Hoje a família se enlaça
E unida, agradece a graça
Alcançada por quem veio
Não com a vida a passeio,
Mas para um serviço duro,
Sonhando um melhor futuro
Para o esperado porvir
Aos descendentes a vir,
E brinda o amor terno e puro! 

Ora, em Fagundes Varela
(Certo poeta andarilho
Que deu nome sem ser filho
À Alfredo Chaves), tão bela
Cidade, a qual chancela
Festa a um clã italiano
Que atravessou o oceano,
Lutou e formou um povo
A dar para o “Mundo Novo”
Novo brilho ao ser humano!

À gente essa, ergo uma taça!
E em tragos, trago o meu vinho,
Que me traz tanto carinho,
Fruto da casta ou da raça
Dessa família que passa
A sangue do sangue meu,
Porque Deus do Céu me deu
De uma Moreschi, um filho
Que em meu olhar pôs o brilho
Refletido do olhar seu!

Alfredo ChavesVeranópolis

47 comentários:

  1. Boa tarde, Siro!
    Que bonita cidade nos mostra!
    Aqui no ES, temos várias famílias de imigrantes descendentes.
    Em minha cidade, propriamente dita, os Marchezi, os Petri, os Lorencini e outros. Em Domingos Martins, um show colossal a festa dos italianos, as danças típicas, as moças loiras lindas, os doces e as massas me encantam... dentre o clima bem europeu na maior parte do ano.
    Gostei muito de passar por aqui.
    Uma postagem refrescante.
    Tenha dias felizes e abençoados junto aos seus amados!
    Bjm fraterno e carinhoso de paz e bem

    ResponderExcluir
  2. Excelente post Siro, preciosa ciudad, con sus emigrantes que le enriquecen más, aquí también los hay, nunca se sabe, a todos nos puede tocar.
    Me ha encantado esta entrada, hermandad!
    Feliz noche Siro.
    Abrazo

    ResponderExcluir
  3. Também está o meu amigo de parabéns.
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Laerte, gostei de conhecer a história desse Brasil que abriu os braços para tantos europeus que procuraram melhorar as suas vidas e alimentar as suas famílias !
    Fico feliz por ter esse filho que ilumina os seus dias, fruto de famílias oriundas de países diferentes mas que encontraram a paz e formaram uma sociedade nova e forte de muito amor !

    parabéns,

    Angela

    fui procurar conhecer melhor essa cidade !

    https://www.visiteobrasil.com.br/sul/espirito-santo/rota-costa-e-imigracao/historia/alfredo-chaves

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Prezada amiga, o sítio que investigaste, de linda cidade, fica no Estado do Espírito Santo e a cidade que me refiro está situada no Estado do Rio Grande do Sul. Por denominações homônimas, o nome da cidade do Rio Grande que se chamava Alfredo Chaves passou a chamar-se Veranópolis. E de Veranópolis, desmembrou-se o município de Fagundes Varela. Endereço eletrônico que anexo aqui! Abraço fraterno!Minha gratidão! Laerte.
      http://wp.clicrbs.com.br/memoria/2015/06/16/140-anos-de-imigracao-as-antigas-colonias-em-exposicao-no-margs/?topo=35,1,1,,,35

      Excluir

      Excluir
  5. Gostei de conhecer a história dessa família Moreschi, da qual descende sua esposa. Uma família que fundou uma cidade. Também gostei de ler o poema que lhe dedicou.
    Abraço e bom Domingo

    ResponderExcluir
  6. Uma história de vida marcante ontem e no hoje de todos nós! Famílias vieram e ainda por aqui chegam para construir! Só com muito amor! Linda e edificante história de um povo!
    Destaco:
    "... Não com a vida a passeio,
    Mas para um serviço duro,
    Sonhando um melhor futuro"...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Amigo Laerte, novo membro da Academia Catarinense de Letras, parabenizo-o pelo texto em homenagem a cidade de FAGUNDES VARELA, e pelo ótimo poema, ambos, texto e poema, dizendo, em última análise, da importância da vinda ao Brasil dos emigrantes italianos, que se estendem também, no meu entender, aos emigrantes alemães, poloneses, japoneses, portugueses e tantos outros, que trouxeram para o Brasil o labor tão próprio de quem tem um novo país para conquistar, embora não abdiquem de suas respectivas culturas. O que seria do Brasil, Laerte, se não tivesse tido a oportunidade de acolher povos dedicados à agricultura, à indústria e ao comércio? Devemos, pois, a toda essa gente trabalhadora uma parte importante do que somos hoje. Uma homenagem, portanto, mais do que merecida.
    Grande abraço, amigo
    Pedro

    ResponderExcluir
  8. Laerte, é tão cativante a tua escrita que eu viajei e me encontrei com a família Moreschi, na linda Fagundes Varela.
    Obrigada pela partilha deste pedacinho da história do teu Brasil (e obrigada Pedro Luso pelo acrescento do teu comentário). Sempre a aprender!
    Excelente e merecida homenagem!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Olá amigo Siro, que belo poste. Os imigrantes merecem todo nosso respeito, somos todos filhos do mesmo Deus. Um pedacinho da história real do Brasil.

    feliz Domingo e um início de semana abençoado Bjuss

    ResponderExcluir
  10. Ola Laerte, obrigada pelo esclarecimento,
    por passar por aqui novamente, atualizei o conhecimento :)))
    boa semana
    Angela

    ResponderExcluir
  11. Gostei de ler o seu post sobre o passado desses imigrantes.
    O poema é soberbo. Parabéns!
    Boa semana.

    ResponderExcluir
  12. Un maravilloso homenaje, tanto en prosa como en verso, para esa maravillosa y gran familia que has tenido la suerte de compartir tu vida con uno de sus descendientes: Tu mujer.
    Tanto para ella como para ti, mil felicitaciones.
    Cariños.
    kasioles

    ResponderExcluir
  13. Muito apreciei este trecho de história que envolve tanta gente de tantos lados. Parabéns a todos os descendentes dessa aventureira família italiana!

    ResponderExcluir
  14. Adorei o poema
    Gostei muito de conhecer a história da família Moreschi
    Estou sempre a aprender :)
    Re: Muito obrigada pelas suas palavras, pelo carinho e pelos belos poemas que me deixou no blogue. Beijinho enorme para si e para a sua querida esposa. Sandra.
    Já pode ler o Novo Capítulo de Um Oceano entre nós

    ResponderExcluir
  15. Deixaram descendentes, a famosa miscigenação que também se vê em Macau e que a minha família exemplifica.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderExcluir
  16. Encontro sempre por aqui leitura agradável e novidades
    interessantes.
    É um tipo de reunião que eu gostava que acontecesse com
    os Dutras, acolhendo primos de muito diferentes estratos
    sociais e culturais.
    As maiores felicidades para a sua Moreschi e para o seu
    muito amado descendente.
    Há dias, fiz o meu primeiro soneto no Refúgio dos Poetas e
    pensei em si e em como o sr. membro da Academia de Letras,
    SC, anda afastado dos meus domínios...
    Dias plenos de felicidade e sucesso.
    Abraço afetuoso.
    ~~~~

    ResponderExcluir
  17. Muito interessante a história da família Moreschi, neste seu poema com ensinamentos históricos acerca daqueles que escolheram o Brasil para viver…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  18. Gran parte de la actual población de América tiene origen europeo, no solo portugués y español.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  19. Interessantíssima história e com ela, e outras assim, se faz a História.
    Este assunto que está na actualidade, hiperbolizado pela comunicação social, parece aos "desatentos" ser dos nossos dias. Não é. A precaridade é o motor que acompanha os emigrantes, desde sempre: procuram fugir da fome e/ou da guerra. É curioso o simbolismo que encerram os movimentos migratórios,quase sempre a fugir da Noite, ou seja, de leste para Oeste. O que safou os europeus foi o continente Americano. Pena a insegurança e violência que o fenómeno transporta para quem está e para quem chega.
    Estou eu, aqui, a divagar sobre História... o que eu quero é enaltecer a a Festa, o Êxito da família Moreschi. Parabéns, meu caro, pela notícia em forma de crónica e de poema requintado.
    Também tenho familiares por S. Paulo e Santos.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  20. Adorei tudo o que aqui li, caro amigo. Também eu rumei a esse lindo pais numa época em que o meu país passava por momentos muito dificeis. Senti-me homenageada por ti, amigo, mas, sinceramente, tenho muito, muito mesmo a agradecer ao Brasil que fez de mim a pessoa que sou hoje; sou luso-brasileira, Laerte, tenho um filho e uma filha brasileiros e sinto-me abençoada por ter duas pátrias. Vivo agora em Portugal, mas todos os anos vou ao Brasil visitar a minha mãe, irmão, sobrinhos e grandes amigos que lá fiz. Parabéns, querido amigo e muito obrigada por lembrares todos aqueles que procuraram no teu pais melhores condições de vida. Um beijinho e boa noite
    Emilia

    ResponderExcluir
  21. Uma história interessante.
    E mais interessante ainda são os encontros familiares de uma família há 130 anos no Brasil.
    Também gostei do seu poema. Magnífico, na forma e no conteúdo.
    Caro Laerte, um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  22. Bom dia, Laerte

    Sempre me causou uma grande curiosidade a história da emigração dos italianos para o Brasil. Penso que me deu vontade de saber mais através da novela "Terra Nostra" que nos dá parte dessa realidade. (Como sabemos as telenovelas muitas vezes nos introduzem em temas muito importantes).
    Assim, gostei imenso de ver aqui o tema mais desenvolvido e personalizado pois ficámos a conhecer a saga de uma Família que também passou a ser sua. Muitos parabéns.
    Apreciei também todo o enquadramento histórico da demanda de novos mundos efectuada por portugueses, em prosa, e num belíssimo poema.

    Bom domingo, meu amigo.

    Abraço

    Olinda

    ResponderExcluir
  23. Caro amigo Laerte,

    a tua poesia é sempre acompanhada de retalhos de história. E estes laços culturais - Europa/Brasil- encontram caminho emocionado no coração de Portugal. Valoroso povo que se aventurou para dar ao mundo um mundo novo. Cá por casa também sinto uma sonoridade brasileira que me encanta. E o italiano, meu amigo, fascina-nos tanto! Embalados que fomos por canções que ainda afagam.

    Deixo um caloroso abraço, poeta.

    ResponderExcluir
  24. Um post maravilhoso, Laerte... que me deu a conhecer um pouco mais desta cidade, e do seu historial... e a ligação da mesma, à sua própria história familiar!...
    E adorei ler o seu brilhante poema, que tão bem passou, em revista, o espírito de luta, perseverança e união em torno dos valores familiares... que também deseja passar ao seu filho...
    Um grande abraço! Feliz domingo!
    Ana

    ResponderExcluir
  25. Adorei o post e conhecer mais um pouco do Rio Grande do Sul, minhas férias será nesse Estado e já estou muito ansiosa. Bom domingo e ótimo post.

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde! Sou descendente de imigrantes alemães, que com muito trabalho desbravaram colônias e criaram suas famílias. Amo as pequenas cidades alemãs e italianas aqui do sul, bem cuidadas, floridas, que estão aprendendo a viver do turismo, pois todos gostam de ser recebidos pelos seus simpáticos cidadãos, apreciar as belezas naturais e a culinária deliciosa.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  27. Olá Laerte,
    vim retribuir sua visita tão gentil ao meu blog.
    Gostei do seu texto.
    Abraço, Deus esteja com você.

    ResponderExcluir
  28. Voltei para ver as novidades.
    Mas tinha pouca esperança de as encontrar, porque sei que anda muito ocupado.
    E gostei de reler este excelente post.
    Caro Laerte, um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  29. Re: Olá de novo. Mais uma vez obrigada pelas suas palavras sábias e por acompanhar a minha história. Bom fim de semana. Beijinho

    ResponderExcluir
  30. Olá, estimado amigo Laerte!

    Sempre com aulas de História mto interessantes e onde não bocejamos -rs.

    A cidade de Fagundes Varela/RS está mais bonita do k nunca. 130 anos é obra e a família Moreschi, k lhe deu uma companheira, é bem o símbolo dessa união e alegria.

    O poema dedicado a seu filho, mostra bem qto orgulho tem no facto.

    Abraços e bom domingo.

    ResponderExcluir
  31. Olá querido amigo Laerte!Que prazer o meu mais uma vez passar por aqui e conhecer mais um pouco desta linda história do Rio Grande do Sul e da família da sua esposa.Tudo isso é muito lindo.A imigração trouxe muita gente talentosa para abrilhantar esta terra chamada Brasil, e nós que de uma forma ou de outra somos parte deste povo de garra seja eles italianos,portugueses e espanhóis como a minha família, isso nos deixa cada dia mais orgulhosos de sermos famílias de imigrantes com muita honra.Parabéns pela brilhante publicação e homenagem muito merecida a sua esposa e filho e a todos da família MORESCHI que contribuiu com muito para construir esta maravilhosa história. Meus sinceros agradecimentos por sua gentil e carinhosa presença em minha página que só me deixa muito honrada com sua doce amizade.
    Um forte abraço de sua amiga de sempre Elaine

    ResponderExcluir
  32. Belíssima homenagem! Muitos parabéns, pelo poema maravilhoso e por fazer parte dessa ditosa família aventureira! Muitas felicidades!

    Boa semana, amigo Laerte.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  33. Lindo Laerte! Parabéns pelas belas palavras. Me sinto homenageada também. Abraços!

    ResponderExcluir
  34. Como sempre me surpreendo com tanto talento e cultura.
    Parabéns, continue nos presenteando com tanta riqueza.
    Belíssimo poema. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  35. Olá, Laerte, que saga, meu amigo! História linda dos nossos emigrantes em que fizeste essa homenagem aos Moreschi, mas que se estende para tantas outras famílias emigrantes. O poema está belíssimo, construído sob grande emoção, eu notei, amigo! Que tesouro fizeste para teu filho!
    A emigração italiana é muito grande aqui, e como tantas outras, têm em nós, brasileiros, o eterno agradecimento.
    Parabéns, Laerte!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  36. Deslumbrei_me ao ler! Aplausos!
    =)
    Bjinhos com carinho...
    Por aqui com, Vivacidades e deslumbres

    ResponderExcluir
  37. https://poemasdaminhalma.blogspot.com/
    Olá caro Laerte!
    Como vai, espero que de boa saúde.
    Mas que Saga do Imigrante? Que história mais interessante, cada qual em sua parte fazem história no destino.
    Gostei imensamente!
    Abraço amigo.
    Luisa

    ResponderExcluir
  38. Caro Laerte,
    passando por aqui para deixar votos de feliz mês de Dezembro,
    e deliciando-me com esse lindo poema de encontros de culturas,
    que se associaram para construir esse grande país,
    longa vida ao grande Brasil
    e ao seu grande povo :)

    abraço,
    Angela
    https://poesiesenportugais.blogspot.com/


    ResponderExcluir
  39. Olá de novo

    Convido-o a ler o novo Capítulo de Um Oceano entre nós - IV. Espero que goste.

    Beijinho

    ResponderExcluir
  40. Lindo texto com aula de história que gostei de conhecer.
    Maravilhoso poema dedicado ao filho.
    Votos de uma excelente noite.

    ResponderExcluir
  41. Voltei de novo (eu vou voltando sempre 1 vez por semana, é o meu ritmo...).
    Caro Laerte, continuação de boa semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir