Linguagem[+]

quinta-feira, 12 de agosto de 2021

ANITA GARIBALDI

 Comemora-se no dia trinta do corrente mês o Bicentenário de Anita Garibaldi – a heroína de dois mundos.

   

Anita na Fonte – obra do
catarinense Martinho de Haro.
Acervo do Museu Casa de Anita

 

ANITA

Na praia uma linda flor
A bela orquídea imita.
Porém muito mais bonita
Dado o matiz multicor.

Um nauta navegador,
Com lentes, busca a infinita
Visão. Vendo a flor Anita
Jura-lhe um eterno amor.

Saltando em terra, o guerreiro
Inala da flor o cheiro
Quando a fragrância a ilumina.

Como esposa e companheira,
Anita fez-se a guerreira
De dois mundos – a heroína.
*Por Laerte Tavares



Obra contemporânea em homenagem ao bicentenário da heroína Anita Garibaldi, de autoria do genial artista da arte literária e pictórica Umberto Grillo, Desembargador Federal, escritor que enalteceu, em obra literária esmerada, a vida do cofundador de nossa centenária Academia Catarinense de Letras, Othon da Gama Lobo D’Eça que, junto a  José Boateaux e outras figuras ilustres, criaram nosso Sodalício.




Anita Garibaldi – obra do artista genovês                       Anita, obra do pintor catarinense Willy 
Gaetano Gallino. Ano de 1845 na cidade                                                   Zumblick
                  de Montevidéu


       Uma amiga portuguesa me perguntou quem foi Anita Garibaldi. Respondi ser uma brasileira catarinense de nome Ana Maria de Jesus Ribeiro, que viveu na primeira metade do século XIX, considerada “heroína de dois mundos”, por lutar na América do Sul e na Europa. No Brasil lutou pela Revolução Farroupilha e no Uruguai contra as tropas argentinas que visavam controlar o comércio no Rio da Prata. Já na Itália, seu grande feito foi lutar pela unificação do país, combatendo ao lado do companheiro Giuseppe Garibaldi, também consagrado herói.
    Ana, para o mundo, ficou conhecida como Anita, devido à dificuldade de pronúncia de Garibaldi que assim a tratava. A jovem guerreira atuou efetivamente nos movimentos revolucionários a diferentes países: Brasil, Uruguai, San Marino e Itália. Exemplo de bravura que motivou os italianos na busca pela unificação do país.
    À época de Ana, a atividade comercial do Estado de Santa Catarina era insipiente, mas seus entrepostos marítimos contavam com o Porto de Laguna (cidade que serviu de marco territorial ao Tratado de Tordesilhas), movimentado com o comércio terrestre e marítimo. Duzentos quilômetros distantes dali, em altitude a cerca de 900m, situava-se o município de Lages, com seus vilarejos circunvizinhos no Planalto Serrano, onde predominava a atividade agropecuária. O transporte de mercadorias, a exemplo do sal e dos produtos industrializados, como lampiões, enxadas e outros artigos, eram levados à serra. Já o charque, pinhão, canjica, fubá, jacás de fumo em corda, enchidos defumados, toucinho salgado e torresmo, iam de Lages para o litoral; mercadorias  essas, transportadas nos seirões (grandes cestos oblongos atrelados às cangalhas) sobre lombos de muares e asininos, dado o caminho íngreme, acidentado, possível apenas para animais de cargas ou cavalo de montaria individual que, além da sela encilhada, levava à garupa nos peçuelos (espécie de dois alforjes – um de cada lado das ancas do animal em couro curtido) roupas e utensílios pessoais, sobreposto à presilha do laço (em tentos de couro cru tramados) ou do sovéu (fino e curto laço grosseiro em três tentos de couro cru torcidos – tipo corda). Demais ferramentas, alimento e roupas iam nas bruacas (grandes malas retangulares – uma de cada lado da cavalgadura, em couro cru, costuradas à mão com tentos de couro cru), transportadas por animais cargueiros.
    Ana nasceu de pais tropeiros – talvez até em uma dessas tropeadas, num trecho do caminho entre as duas cidades, enquanto conduziam uma tropa de bovino a Laguna para uma feira pecuária. É fato que, desde menina, ela acompanhava os progenitores nas jornadas, tornando-se exímia amazona nas lidas das tropeadas.
    Ainda adolescente, Ana se casa com um morador de Laguna, tamanqueiro por profissão, cujo enlace pouco durou devido às diferenças de gênios, culturas e costumes. Com a separação do casal, ela passa a morar com parentes, enquanto ele se alista na Guarda Nacional do Império, que lutava contra a revolta republicana, que veio a se instalar na região sul do Brasil. Ao conhecer o revolucionário italiano Giuseppe Garibaldi, decidida, Anita se junta às suas tropas contrárias ao Império, surpreendendo a todos pela denodada bravura em combate. Ao tempo em que viveu com Garibaldi, ela se superou nas batalhas, lutando até seu último instante de vida.

Obs.: um relato curioso narrado pelo senhor Jacinto Bagio, 94 anos, quanto ao transporte de mercadorias à época. Isso ilustra a vida campeira daquele tempo, transportando porcos: 
(Fonte: Vídeo – Rádio Guarujá)


                                                      
    Alegoria da Revolução –                                           Anita, Anita, pelo artista brasileiro
óleo sobre papel sobreposto a cartão;                       Galdino Guttmann Bicho, 1919
de Johann Moritz Rugendas, 1846-48




ANA MARIA

Do grande amor de um tropeiro
E de um cavalgante ventre,
Entre equinos, gado e entre
Jornadas sem paradeiro,
Ana de Jesus Ribeiro
Nasceu; e um certo retardo
Foi feito para o resguardo.
Pra mãe não ficar sozinha,
A comitiva inteirinha 
Parou também no aguardo.

Depois de uns dias passados
De repouso e muito zelo
Reuniram o sinuelo
Com o gado, dos dois lados
Da via. Já encilhados
Os cavalos, mulas cargueiras
Carregadas e pelas beiras
Da sinuosa estrada
Iniciaram a jornada,
Atrasados para as feiras.

Ana de Jesus Ribeiro,
Apelidada de Aninha,
Das veias paternas tinha
Bons dotes de cavaleiro
Herdados do pai boiadeiro,
Visto que desde menina
Foi a criança ladina
Que aprendeu cedo e seria
Melhor que ele em montaria
Por ter bem mais disciplina.

Um dia, em pelo, ao cavalo
Sem sela e só barbicacho,
Aninha enfrentou um macho
Atrevido e, ao surrá-lo
Ele cai dentro de um valo
E quase perde sua vida.
Mas Ana o socorre em lida
Sozinha, essa heroína,
Adolescente menina,
Tornando-se bem conhecida.

Contam que a moça, a trote
Ligeiro, de erguido relho,
Correu atrás do fedelho
Por entender ser preciso
Que ele tomasse juízo.
O moço, em disparada
Zarpou. À margem da estrada
O cavalo tropeçando
Derruba o jovem. Foi quando
Ana o livra da enrascada.

Esse, o primeiro feito
De denodo e valentia
Da rapariga, que iria
Levar-lhe a um conceito
De nobreza por seu jeito
Altruístico e de valor,
Perdoando o pecador
Mas condenando o pecado,
Pelo tratamento dado 
A um filho do Criador.
*Por Laerte Tavares


Selos postais     

   
                                                                     Anita com seu chapéu de feltro 
                          (calabrês) com penacho


    *Em alguns registros, autores destacam a importante participação feminina, mesmo que indiretamente, na Guerra dos Farrapos. Diversas mulheres assumiram os negócios da família enquanto seus maridos e filhos lutavam na guerra. Outras, na maioria índias, anônimas em relação à Anita, acompanharam seus maridos nos campos de batalha. Muitas delas tomavam conta das pontas de gado, da munição, tratavam os feridos e algumas até pegavam em armas na defesa contra o inimigo.



Anita, (obra) morte ocorrida em Mandriole, Itália. Instante em 
que as tropas garibaldinas fugiam das tropas suíças. Acometida 
por uma crise de febre tifoide, Anita falece em 4 de agosto
de 1849, grávida de cinco meses do quinto filho.



Giuseppe Garibaldi – retrato Risorgimento 
italiano, Duroni,  Alessandro; Pozzi, T. A.
Collocazione: Lovere (BG), Accademia
di Belle Arti Tadini. Museo Cassioli
Pittura senese dell'Ottocento


Narrativa escrita por Garibaldi, entregue ao 
seu amigo e admirador Alexandre Dumas (pai), 
que publica no final de 1860. 

 

 

Monumento em homenagem à Anita Garibaldi,
na cidade de Laguna, SC


Monumento no Janículo, em Roma,  Itália. (obra de Mario Rutelli). 
Retrata Anita, quando da passagem em que fugia carregando 
o filho Menotti, de 12 dias,  ao serem atacados em São Luís das 
Mostardas/RS em setembro de 1840


Letra para o hino em homenagem à heroína - 1915.
Material referente ao “Levantamento Bibliográfico, Anita Garibaldi. 
Pesquisa realizada nos Jornais Catarinenses da Biblioteca Pública 
de Santa Catarina, disponíveis na Hemeroteca Digital Catarinense 
e Hemeroteca Digital Brasileira (1889 – 1968).” 
Organizado por Helen Moro de Luca 





Lanchão, suspenso sobre rodas atrelado a juntas de
bois – carregado até o rio Tramandaí-RS

 


Varais com charque (carne-seca) – Rio Grande do Sul. Fonte: GZH/RS
 
O charque do Rio Grande do Sul abastecia o mercado interno, mas com os 
altos  tributos sobre o sal, o couro bovino mais o charque (alimento 
principal dos escravos), gerou a insatisfação entre os estancieiros. As altas 
taxas  teriam levado os produtores gaúchos a lutar pela independência 
 do estado em relação ao governo central,  o que motivou os conflitos. 
Os farroupilhas  almejavam uma República Federativa permitindo
 autonomia às leis,  para a economia local.


ANITA GARIBALDI - (1821-1849)
"A Heroína de Dois Mundos"-
Documentário – Anita Garibaldi / Amores e Guerras:


Pergunta que não cala e insistente,
Mas sempre sem razão: Quem foi Anita?
Respondo ser um ente que gravita
À frente do seu tempo – muito à frente!

Exímia em equitação, sóbria e valente
Era a bela donzela e esquisita
Fera indomável e arisca que habita
A selva virgem, solta e independente.

Quando acuada, mostrava quem era.
Punha de fora as garras  de pantera
A incendiar o mundo, a leve chama.

E essa indomável peregrina fera
Se fez universal, em atmosfera
De guerra heroica, a heroína dama.


77 comentários:

  1. Estamos mesmo sempre a prender.
    Desconhecia por completo.
    Abraço, bfds

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pedro,
      também gostei de conhecer a vida dela há já algum tempo!!!
      com ascendentes dos Açores, que nasceu em 1821, antes de haver cidadania brasileira, portanto ainda um pouco portuguesa!
      https://portugalredecouvertes.blogspot.com/2021/06/connaissez-vous-anita-garibaldi.html
      veja-se que Giuseppe Garibaldi era tipo mercenária, no Brasil lutou com os separatistas, tentando separar um território do Brasil,
      já na Itália lutou a favor da união para juntar os territórios e repúblicas num só país (a Itália como a conhecemos é uma criação recente)


      https://portugalredecouvertes.blogspot.com/2021/06/connaissez-vous-anita-garibaldi.html
      Fiz algumas pesquisas e realmente a vida dela foi notável
      um abraço

      Excluir
  2. Tudo isso é muita areia para a minha camioneta mas gostei muito um beijinho😘😘um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  3. Olá Laerte bela homenagem a essa mulher cheia de coragem !
    também gostei de conhecer a vida dela há já algum tempo!!!
    com ascendentes dos Açores, que nasceu em 1821, antes de haver cidadania brasileira, portanto ainda um pouco portuguesa!
    https://portugalredecouvertes.blogspot.com/2021/06/connaissez-vous-anita-garibaldi.html
    veja-se que Giuseppe Garibaldi era tipo mercenário, no Brasil lutou com os separatistas, tentando separar um território do Brasil,
    já na Itália lutou a favor da união para juntar os territórios e repúblicas num só país (a Itália como a conhecemos é uma criação recente)
    Coloquei um post sobre a Anita

    https://portugalredecouvertes.blogspot.com/2021/06/connaissez-vous-anita-garibaldi.html
    Fiz algumas pesquisas e realmente a vida dela foi notável
    um abraço

    ResponderExcluir
  4. APreciado poeta, Laertes. Una crónica relevante entre la narrativa y la poética, y una excelente indagación de la vida de esta heroína, Anita, en fotos y archivos. Confieso mi ignorancia. Desconocía que Anita hubiera sido la esposa del aguerrido Garibaldi, y que hubiera luchado por la emancipación del Brasil, y luego por Italia, al lado de su esposo. Leía, que murió de fiebre tifoidea. pero lo mejor los dicho en esta crónica que celebro. UN abrazo. Carlos

    ResponderExcluir
  5. É sempre muito bom ver a coragem e garra de uma mulher homenageada.
    Anita Garibaldi, merece .
    Uma excelente aula de história toda esta publicação.
    Brisas doces ***

    ResponderExcluir
  6. Esto es algo que desconocía gracias por darlo a conocer.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  7. BRAVO!!
    Laerte, essa tua postagem sobre Anita Garibaldi, mulher forte e de extrema importância histórica, é um tesouro a ser estudado por todos aqueles que querem pesquisar sobre essa heroína.
    Que maravilha o que li nessa página, aplausos, querido amigo!

    "Como esposa e companheira,
    Anita fez-se a guerreira
    De dois mundos – a heroína."

    Grande abraço e beijos a todos aí, parabéns!
    Um bom fim de semana, com saúde e esperança!

    ResponderExcluir
  8. Um longo e muito interessante post de uma mulher de quem pouco mais conhecia que o nome e a sua ligação a Garibaldi.
    Grata pela partilha.
    Abraço, saúde e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  9. Excelente, amigo Laerte!
    Parabéns, pelo magnífico trabalho aqui exposto!

    Votos de um excelente fim de semana!

    Abraço amigo.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi querido Laerte Tavares amei seu post !
    Que as energias do Amor, do Bem
    e da Paz cheguem até você🙏
    Feliz fim de semana!
    Com meu carinho sempre bjinhos 💖🙏💐🌷

    ResponderExcluir
  11. Grande homenagem pra uma grande mulher, guerreira, heroina. Ainda bem que homens reconhecidos como tu, busca na História, esses Seres iluminados, que a poeira do tempo não deixa que chegue a atualidade para os que não a conheceram , conheça.
    Grande abraço, amigo

    ResponderExcluir
  12. Gracias mi amigo Laerte, por permitirme
    conocer a la reconocida heroína Ana G.
    un placer que me hayas permitido conocerla.

    Besitos dulces

    Siby

    ResponderExcluir
  13. Bonita homenagem a Anita Garibaldi. Gostei de conhecer a história. Obrigada, Amigo, por partilhar.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  14. Nao conhecia esta grajde figura da literatura brasileira
    E gostei

    ResponderExcluir
  15. Graias por adornarnos la vida con tus poemas

    ResponderExcluir
  16. Grande mulher histórica Anita. Homenagem merecedora. Agradeço de coração a sua postagem poética em minha página. Uma inspiradora semana.

    ResponderExcluir
  17. Adorei recordar a vida de Anita... já há alguns anos atrás, tinha acompanhado uma novela/série da Globo, sobre esta grande mulher, com uma história de vida fascinante...
    E por estes dias... o universo feminino, em termos de direitos, regrediu tanto, dados os últimos acontecimentos no Afeganistão...
    Inspiradora e notável, sua homenagem, Laerte, a esta admirável mulher! Belíssimos poemas e excelente trabalho de pesquisa, como o restante material de suporte, informativo e de imagem!
    Um grande abraço! Feliz semana, e continuação de um excelente mês de Agosto, estimando que se encontre bem, assim como todos os seus!
    Ana

    ResponderExcluir
  18. Olá amigo Laerte
    Quão primorosa e bela a sua partilha e magistral homenagem à esta guerreira Anita Garibaldi
    Um fraterno abraço

    ResponderExcluir
  19. Boa noite, Laerte.
    Vim aqui agradecer sua visita e comentário no meu Blog e dou de cara com um post maravilhoso sobre Anita Garibaldi. Muito linda a homenagem que você fez a essa "guerreira de dois mundos", uma grande mulher e merecedora de todas as menções. Parabéns pelo trabalho de pesquisa e material de apoio que você nos trouxe. Muito boa essa "visita" histórica, a impedir que pessoas tão especiais como Anita, sejam obnubiladas na atualidade em nome de outras modernidades. Adorei essa tua postagem. Muitos elogios e aplausos.
    Bjs
    Marli

    ResponderExcluir
  20. Olá, amigo Laerte, nós, catarinenses, ouvimos falar de Anita Garibaldi nos primeiros anos do grupo escolar, como se dizia antigamente. Os meninos mais afeitos à aventura certamente eram seus principais admiradores, por ser ela uma mulher guerreira, casada com um homem valente e guerreiro.
    Lembro-me muito bem as histórias que eu ouvia sobre o casal, quando mal sabia ler. Lembro-me que ficava fascinado pelas histórias que ouvia dela e do marido. Lembro-me, ainda, que tinha vontade de descer de São Joaquim, pelo antigo caminho que levava até Laguna, caminho esse que hoje é a Serra do Rastro, pois queria muito conhecer a estátua da heroína, o que somente ocorreu quando já era adolescente. O fato, amigo, é que Anita serviu-me de inspiração para a leitura de muitos romances, principalmente os de aventura e, mais tarde, inclinei-me à História inspirada no casal de guerreiros.
    Como podes ver, Laerte, acho que somos todos, os catarinenses, um pouco órgãos de Anita.
    Então, dileto amigo, resta-me parabenizá-lo pela brilhante postagem, depois de aprofundado estudo na biblioteca de Florianópolis , edição esta que foi aberta com o teu belo poema, dedicado à Anita.
    Uma boa semana, para ti, e toda a família, com saúde e esperança.
    Grande abraço, amigão.

    ResponderExcluir
  21. Bom dia, Laerte! Vim agradecer sua tão encantadora e poética visita em meu Blog e me deparo com um post tão rico!!!
    Além dos seus tão belos poemas, toda a história acerca de Anita Garibaldi, uma mulher guerreira, muitíssimo além do seu tempo. Não conhecia tantos detalhes e gostei muito de aprender mais, contigo.
    Fique certo que acompanharei seu Blog e voltarei! Um abraço
    Valéria

    ResponderExcluir
  22. Boa noite, Laerte!
    Vim agradecer sua visita poetica e por seguir meu blog, e aqui estou para aconpanhar seu blog.
    Aqui encontrei um lindissímo blog com conteúdos muito rico!!!
    Belos poemas, e uma bela homenagem a heroína Anita Gariballdi.
    Rico em detalhes que não conhecia.

    Voltarei sempre, tenha uma boa noite!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  23. Olá meu amigo Laerte,
    Que história fascinante essa de Anita Garibaldi, uma guerreira e mulher forte para uma época em que as mulheres eram subjugadas e viviam para o lar e os filhos. Adorei conhecer um pouco mais sobre a sua trajetória, realmente uma mulher muito decidida e corajosa.
    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  24. Oi Laerte,uma aula de História e poesia feita com total cuidado.
    Anita merece toda essa homenagem,uma honra saber que houve uma mulher com tanta atitude e disposição para defender seus ideias,lutando até o fim.
    Tenha um ótimo dia!

    ResponderExcluir
  25. Caro Laerte

    Uma heroína que não conhecia. E, através dela, toma-se consciência da existência de valorosas mulheres que souberam superar-se na sociedade.
    O seu post é valioso e bem documentado.
    Os versos da sua autoria homenageiam bem essa corajosa mulher.
    Os meus parabéns.
    Abraço
    Olinda

    ResponderExcluir
  26. Grato caro Laerte, por me dar a conhecer esta corajosa mulher, e toda a descrição detalhada que faz de um facto histórico relevante e muito bem documentado.
    As minhas felicitações.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  27. ha sido un grato placer Silo Lirico leerte ver y entender tan importante personalidad e Anits Garibaldi estuve emocionado con sus hazañas ,versar y una vida entregada para la posteridad... , mi felcitacion ,recibe un fuerte abrazo tu amigo ,buen fin de semana desde mis atalaya de horas rotas .jr.

    ResponderExcluir
  28. Impressionante esta História que nos conta sobre a Anita Garibaldi... Ela foi, efectivamente, um marco pioneiro na difícil caminhada da mulher pela emancipação feminina (com sentido).
    Um abraço, Laerte.
    Humberto Maranduva.

    ResponderExcluir
  29. A história contada em poemas tão belos é muito mais fácil de conhecer, sem dúvida! :D

    ResponderExcluir
  30. Obrigado, Laerte, pela partilha sobre Anita Garibaldi, que não conhecia.
    Uma verdadeira mulher de armas, uma heroína de saias, que pelos diferentes palcos bélicos, de diferentes mundos, em que atuou, faz lembrar um Che Guevara e/ou um Simão Bolivar.
    Abraço luso-brasileiro.
    Juvenal Nunes

    ResponderExcluir
  31. Bravo poeta. Que pesquisa. E que belo poema. Já ouvia falar de nome, mas agora soube melhor quem foi Anita Garibaldi. Aqui no Rio de Janeiro há uma rua com esse nome. Mas não me interessei em saber mais. Gostei muito da apresentação. Abraço

    ResponderExcluir
  32. Bom dia Laerte,
    Um post magnífico e culturalmente muito importante.
    Gostei imenso de conhecer a personagem Anita!
    Seus poemas são lindos!
    Um beijinho e continuação de boa semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  33. Oi Laert
    Não se faz mais mulheres como antigamente.
    Se lhe contasse minha história de vida não acreditaria.
    Nem queira saber, mas venci a todos os obstáculos e pedras que colocaram na minha estrada e, tirei de letra.
    Sozinha construí o meu canto bom e criei um filho adotivo, peguei-o com dez dias, ele está terminando a terceira Faculdade, mas a noiva quebrou-lhe a perna, o resto só por email.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  34. Olá amigo Laerte.
    Sempre com lindos poemas. Me recordei da história dela, grande mulher.
    Beijos
    Ingrid

    ResponderExcluir
  35. Uma Mulher digna de todas as homenagens e que pode simbolizar todas as que lutaram tão corajosamente como os homens , mas que a História nem uma nota de rodapé lhe concedeu>!

    Bom meio de semana e um abraço.

    ResponderExcluir
  36. Olá Laerte!
    Bonita homenagem, nem conhecia muito sobre Anita Garibaldi,
    fiquei a conhecer mais, muito obrigada!
    Amei seu comentário lá no meu blog, fiquei muito feliz!
    Grande abraço e feliz quarta-feira!

    ResponderExcluir
  37. Oi Laerte
    Este post é uma bela homenagem a essa mulher heroína dos dois mundos! Nunca tinha ouvido falar nessa mulher tão inspiradora!
    Bjs

    marisasclosetblog.com

    ResponderExcluir
  38. Aqui, a bela poesia jorra em torrentes de versos líricos e bem torneados...obrigada por levá-la também ao nosso blog!
    Um viva à Anita, precursora nos anseios de liberdade das mulheres sulistas e brasileiras!

    ResponderExcluir
  39. Olá!
    Uma bela homenagem para Anita Garibaldi.
    Tão esquecida e agora bem lembrada.
    Abraços e boa noite.

    ResponderExcluir
  40. Boa tarde, amigo Laerte.
    Já tinha lido sobre esta heroína, mas como sempre, fiquei fascinada com sua publicação sobre Anita Garibaldi.
    Além de nos proporcionar conhecimento, o meu amigo embeleza as suas publicações com sábia poesia.
    Todos os detalhes e recolha de informação são perfeitos e feitos com toda a atenção.
    Obrigada por sair sempre daqui, mais rica culturalmente.

    Um beijinho e muita saúde.

    ResponderExcluir
  41. Fantástica postagem. Um acervo de informação para muitos, como eu, conhecendo o nome sem conhecer verdadeiramente esta heroína da História.
    Obrigado pela partilha e pela visita lá na minha Ondjira.

    ResponderExcluir
  42. Viva, Caro Laerte
    Conhecida a flor e a fera, fiquei encantado com esta história da história que vim encontrar neste lugar.
    Trabalho sério, recheado de boa informação. E não faltam os poemas de versos bem limados e rimados.
    Agradecendo as visitas que tem feito ao meu janelico, deixo votos de saúde e um abraço amigo.

    ResponderExcluir
  43. Uma interesante historia duma mulher lutadora, heroína, como moitas outras en diferentes lugares.
    Eu estive em Santa Caterina mas nao sabía dista historia. Gostei saber.
    Abraço

    ResponderExcluir
  44. Laerte,
    Uma riqueza de publicação.
    Muito contribui para que
    todos os que por aqui passarem
    saibam um pouco mais.
    Grata de verdade.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  45. Laerte
    Conhecendo mais um pouco sobre Anita!
    E desejando um ótimo fim de semana, com saúde e paz.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  46. Através deste seu excelente post, fiquei a conhecer melhor a Anita Garibaldi.
    Uma mulher de grande coragem que deve ser lembrada e relembrada pelos vindouros.
    Uma homenagem muito bem elaborada, desde a sua excelente poesia aos textos explicativos.
    Bom fim de semana, caro Laerte.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  47. Uma lição de História, muito agradável de ler, não fosse ela ao jeito do "nosso" poeta Laerte!
    Muita gente já ouviu falar da Anita Garibaldi, mas conhecer a sua vida ao pormenor, só aqui, neste minuciosa informação!
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  48. Aqui está uma verdadeira e profunda homenagem, bem documentada com sentido e peso! Grata pela oportunidade de ler tão exaltadas palavras. Anita, é o rosto da bravura, que me remete para muitas outras mulheres que ao longo da História fizeram o mesmo! Admiro-lhes a grande coragem e a audácia! Muito lhes devemos!

    Cordial abraco

    ResponderExcluir
  49. Querido Larte, espero que esteja tudo bem consigo e com os seus.
    Uma homenagem inteligentemente bem feita, extraordinários poemas!!!
    Fique bem, beijinho!

    ResponderExcluir
  50. Algumas pessoas são eternas. As pessoas passam, as obras ficam. Que bom isso! E nós, por justiça, devemos homenagear sempre, para perpertuar a história dessas pessoas.

    ResponderExcluir
  51. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  52. Olá , Laerte! Que prazer é o meu, em ter você, no: Curvas , retas e esquinas! Constato que, por aqui, há um esbanjamento de excelente conhecimento e literatura. Fiquei lisonjeado e se me permite, ficarei seguidor desse espaço de grandiosa cultura. Tenha uma noite abençoada e leve. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  53. Olá Laerte
    Grande escritor, a literatura faz parte do seu ser. Que bom!
    Quem ganha somos nós lendo seus escritos lindos do começo ao fim.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  54. Laerte, um mestre da poesia!
    Adoro lê - lo!
    Um beijinho!
    Megy Maia😊 🌹🌸

    ResponderExcluir
  55. Há sempre alguma heroína, desconhecida de alguém, que se deve exaltar!
    Grata por nos dar a conhecer, em tão bonita homenagem!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  56. Interessante, completa e bela homenagem a Anita Garibaldi.
    Desconhecia a sua incrível história de vida.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  57. Bom dia, nobre amigo, Laerte.
    Nós, seus leitores estamos um pouco mais ricos com tanta matéria de grande valor cultural. Confesso que conheço a história de Anita Garibaldi, mas aqui, sanei muitas dúvidas. Obrigada por tão rica partilha. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  58. Parabéns pela belíssima e detalhada postagem.
    Muito bem elaborada!
    Gratidão pela presença e comentário.
    Abraço

    ResponderExcluir
  59. Que postagem maravilhosa e bem detalhada.
    Gosto muito da história dessa grande guerreira.

    Parabéns pelo trabalho.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  60. Amigo poeta e escritor Laerte, rica narrativa, seus poemas em forma de sonetos que engrandeceram essa postagem, leitura que me deu mais um pouquinho de conhecimentos!
    Amei!
    Onrigada sempre pelo carinho de sua amável visita e comentários.
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  61. É realmente uma personagem muito interessante que bem merece
    o respeito e admiração dos brasileiros dos estados do sul...
    Em Itália participou na unificação do país.
    Um 'post' bem expressivo e completo.

    Regressei e sinto a sua ausência nos meus 'blogs'...
    Despedi-me no final de Julho, na comemoração da Amizade...
    Bom fim de semana. Saudações afetuosas.
    ~~~~

    ResponderExcluir
  62. Meu amigo Laerte,
    Estou visitando o blog dos amigos pra ver as atualizações e deixar os meus comentários e também para avisar que tem postagem nova no blog.
    Te desejo uma excelente semana!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  63. Extraordinário! Tanto que aprendo consigo...interessa-me muito a cultura brasileira e este «post» é extraordinário, repito.
    Beijo

    ResponderExcluir
  64. Grandes feitos são aqui relatados. Garibaldi é um nome que temos gravado. E foi muito enriquecedor saber de Anita.
    A reportagem está completa com a cuidada inspiração poética.

    Grande abraço, amigo Laerte. Saúde!

    ResponderExcluir
  65. Querido Amigo, demoro muitissimo a vir cá e quem perde com isso ė aqui a sua Amiga. Nadz me é muito estranho tudo aquilo que contas pelo facto de ter vivido no Brasil e ter acompanhado os estudos dos meus filhos aí, mas desconhecia por completo a Anita Garibaldi, uma guerreira e também uma mulher muito à frente no seu tempo, tendo -se até separado, coisa não admitida ainda há poucas décadas. Aprendi muito com este teu post e também gostei muito dos teus poemas relativos a esta heroina e à época em que viveu. Muito obrigada, Amigo Laerte e, prometo...virei com mais assiduidade. Um beijinho e SAÚDE para todos aí em casa
    Emilia

    ResponderExcluir
  66. Corrigingo..
    Nada me é muito estranho em tuo aquilo que contas, pelo facto de...
    Assim está melhor. Beijo
    Emilia

    ResponderExcluir
  67. Aos Heróis, a Honra feita
    De lembranças e razão.
    Quem não tem moral perfeita
    Também não tem coração.

    Honra e Glória.
    Post de grande valor Histórico.
    Parabéns,Laerte Tavares.


    Abraço
    SOL da Esteva

    ResponderExcluir
  68. Gostei de rever este magnífico post.
    Nomeadamente os excelentes poemas.
    Bom domingo e boa semana, caro Laerte.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  69. Que belo e rico post sobre Anita Garibaldi!

    Respondendo também sua questão em meu blog, minha família é do interior de SP.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  70. Uau!!!
    O que eu aprendi agora aqui, sobre Anita Garibaldi.
    Obrigada Laerte por esta publicação magnífica.
    Que bom foi o nosso reencontro.
    Beijo.
    (Respondi no Pétalas à tua pergunta. Mas sim, nós nos «conhecemos» no Rol de Leituras.)

    ResponderExcluir
  71. Beautiful words for Anita Garibaldi with beautiful paintings.

    Great woman.... love to read about her.

    # Have a wonderful Monday

    ResponderExcluir