Linguagem[+]

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

"DE VOLTA À CASA DE MAMÃE"



AURORA

PÔR-DO-SOL

Laerte Sílvio Tavares

“Como a ave que volta ao ninho antigo / Depois de um longo e tenebroso inverno, eu quis também rever o lar materno, o meu primeiro e virginal abrigo”... (Luiz Guimarães). Depois de férias em praia semisselvagem, em que não há internet, retorno ao lar e cá, à civilização, dou meu sinal de vida, apresentando escusas por tanto tempo inativo na blogosfera, minha cachacinha animadora, cujo trago etílico, divido-o com divindades dos amigos que lá deixei, pescadores artesanais de espíritos afinados com a natureza da terra paradisíaca. Aqui deixo meu primeiro poeminha do ano corrente.

AURORA

Enquanto a luz do sol colore a aurora
E chegará o dia sem demora,
Tua loucura procura o que tem
O céu, aquém do céu e céu além.

Enquanto pensas ser poeta ou louco,
Vais explorando o belo, pouco a pouco,
E em poesia ele se transfigura.
“Louco, é o mundo, não a criatura!”

Verás que à luz da tua poesia,
Se descortina o que ninguém via:
Toda a beleza do cotidiano.

O universo cósmico é energia.
Porém ao belo, tua luz que alumia
E o deixas claro ao sentimento humano.

40 comentários:

  1. Que bom ver teu retorno, inspiradíssimo nessa poesia linda! Adorei as fotos e é tão bom estar em praias retiradas, longe de gente e mais gente...abraços, bom retorno,chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Siro!
    "Louco é o mundo, não as criaturas".
    O retorno à casa da mãe é uma volta ao nosso verdadeiro eu na maioria das vezes...
    Bom retorno e o bom filho à casa volta!
    Felicidades e bênçãos para você!
    Abraços fraternos de paz e bem
    🙏🙏🙏

    ResponderExcluir
  3. Pelas palavras do meu amigo e pelas imagens, mas que lugar maravilhoso que apetece ir já sem mala nem nada.
    Bonito poema.
    Seja um bom regresso para o meu amigo.
    Um abraço

    Olhar D'Ouro - bLoG
    Olhar D'Ouro - fAcEbOOk
    Olhar D'Ouro – yOutUbE * Visitem & subcrevam

    ResponderExcluir
  4. Bem vindo, amei ler seu belo poema inspiradissimo!
    Viajar é maravilhoso, voltar é melhor ainda, de volta à casa da mamãe então, nem se fala, demais de bom!
    Abraços bem apertados!

    ResponderExcluir
  5. Um bom começo, ou mesmo recomeço. E que haja mais poemas inspirados no inesgotável quotidiano que nos rodeia.
    Obrigada pela visita

    ResponderExcluir
  6. Parece que fizemos umas férias semelhantes, companheiro da blogosfera: natureza, gente simples e ligada às coisas primordiais, ver nascer o dia e vê-lo dar lugar à noite, observar a beleza. Foi bom voltar aos blogues, é bom receber a visita dos amigos. E é sempre consolador emocionarmo-nos com a poesia, com a beleza, com a criatividade.
    Obrigada pelo teu poema e pela tua visita, e cá estamos!

    ResponderExcluir
  7. Seja bem-vindo de volta amigo Laerte, que bom regressar ao ninho onde nascemos, o meu já foi alterado para turismo rural, já lá não encontro a minha alegre casinha que me viu nascer! Mas visito a vivenda que lá construí.

    O meu abraço.

    ResponderExcluir
  8. Antes de mais. Obrigado pelas palavras deixaras no meu cantinho. Poema magnífico. Uma boa semana.
    Saudade

    ResponderExcluir
  9. Oi Silo,
    Não some das nossas vidas para um dia se arrepender.
    Sentimos saudades!!
    Uma linda poesia para nos encantar.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  10. Essa praia semisselvagem deve ser muito revigorante.
    E marcas o regresso regresso com um belo poema, inscrito na luz da aurora.
    Que bom gosto, meu amigo Laerte!

    Beijo meu.

    ResponderExcluir
  11. A las primeras fotos muy bellas supiste acompañar con una bella poesía

    Saludos.

    ResponderExcluir
  12. Então, seja muito bem-vindo de volta!
    Que bonito poema e as fotografias também estão muito bonitas!

    Boa semana!

    ResponderExcluir
  13. De volta para o aconchego.
    Aquele abraço, boa semana.

    ResponderExcluir
  14. Antes de mais, o meu obrigada pela visita ao Barlavento e pelas amáveis palavras de apreço, que muito prezo!
    Louvo, sobremaneira, este belo poema, com que nos brinda neste regresso à blogosfera, mas que outra coisa seria de esperar? Regressar às origens, à casa materna, é preciso, para que possamos renascer e recriar o nosso percurso de vida.
    Um abraço, Laerte, com muita estima.

    ResponderExcluir
  15. "E enquanto sonhas ser poeta ou louco,
    Vais explorando o belo, pouco a pouco"...
    Gostei do poema.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  16. Olá, voltar de férias em um lugar paradisíaco é inspirador, resultado: belo post e poema.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  17. E chega revigorado com um belo poema.
    Abraço

    ResponderExcluir
  18. Seja bem regressado, Amigo.
    Devem ter sido umas férias de sonho,
    apesar das temperaturas muito altas.
    Gostei do seu poema.
    Já me sinto no grupo: um pouco poeta,
    um pouco louca... A propósito tenho
    um poema meu no Vivenciar, aprendo o
    a, b, c, da arte...
    Dias animados na mansão da mamãe.
    Abraço, Laerte.
    ~~~~

    ResponderExcluir
  19. Um poema maravilhoso. Gostei muito.

    Bom dia

    ResponderExcluir
  20. Depois do merecido descanso, o regresso "à casa de mamãe"...
    E que belo regresso, amigo Laerte!
    As fotos (lindas) e o poema (inspirador) provam que é "luz" o mundo do poeta.
    Beijo e boa semana.

    ResponderExcluir
  21. Quatro estrofes e quatorze versos, eis o seu soneto intitulado, Aurora.
    Retornou com brilho, como brilha no fim da noite a Aurora.
    As fotos estão lindas também!!!
    Beijos e seja bem-vindo, Laerte.

    ResponderExcluir
  22. Un poco de desconexión nunca viene mal y to poema nos demuestra que vienes con fuerzas renovadas.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  23. Assim como o dia também regressamos... e que belo regresso o seu.
    :)

    ResponderExcluir
  24. Ainda bem, Laerte, que voltou a dar "um ar da sua graça". Muito belo o seu poema, parabéns!

    ResponderExcluir
  25. Olá Laerte!
    De volta à sua arte, como o bom filho à casa torna.
    E com mente já folgada, traz consigo um belo poema,
    ao sabor dessa "Aurora". Gostei muitíssimo.
    Beijos e seja bem vindo.
    Ótimo fim de semana.
    Luisa

    ResponderExcluir
  26. Belo lugar el de tu descanso, donde recargabas las baterías para el deslumbre de tus versos líricos como éste de la Aurora, donde lo natural se conjuga con el espíritu del poeta que es capaz del asombro para lograr forjar la poesía. Un abrazo. Carlos

    ResponderExcluir
  27. A alma do poeta se encanta com o nascer da aurora e transforma sonhos e luz em palavras, que suavemente pousam na folha de papel, para depois acariciar o olhar de quem as vai ler.
    Belíssimo poema.
    Um grande abraço
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir
  28. Um lugar deveras inspirador essa praia... como tão bem, nos mostra a formidável imagem, com tão encantador entardecer...
    Bom tê-lo de volta, Laerte...
    Adorei o poema! Muito reflexivo... afinal, é a poesia... que nos desvenda e explica o mundo...
    Um grande abraço! Feliz semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  29. The foundation of Weborbit Solutions was mainly through an initiative taken by a group of enthusiast. The Premier Business Service provider is mainly catering to the IT and the branding sector. Hence Weborbit is having the basic concept to lead you digitally.

    Best Web Design Company in kolkata

    Best Web Development Company in kolkata


    Best Android App Development Company in kolkata

    ResponderExcluir
  30. Fico contente por estar de volta à Blogosfera.
    Adorei o poema. Não há como voltar às nossas memórias de infância.
    Pelas fotos vejo que o sítio é lindo.
    Parabéns.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  31. Boa tarde, Laerte

    Gosto muito deste seu regresso ao blogue com um doce poema, que coincide com o regresso a casa. Belo sítio, vistas lindas aqui nos oferece.

    Abraço.

    Olinda

    ResponderExcluir
  32. O poeta tem sempre uma visão irreverente e, aparentemente, contraditória das coisas. Contudo, melhor do que ninguém, a engenharia do poema (poiesis)configura a subtil essência de um constructo referencial que só se encontra ao alcance do poeta.
    Gostei da agitação de que reveste o sintagma.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  33. Belas fotos e bonito poema.Bom final de semana.

    ResponderExcluir
  34. Silo Lírico, não me leve a mal se estou a ser inconveniente, mas lembrei-me destes dois escrito mais sobre a adolescência, que talvez goste de ler.
    https://maranduvaline.blogspot.com/2016/11/crescer-para-adolescer-i.html
    https://maranduvaline.blogspot.com/2016/11/adolescer-para-crescer-ii.html
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  35. O melhor da viagem é o retorno! Lindo poema!

    ResponderExcluir
  36. Também eu um dia sonhei em ser poeta, louca e escritora! Mas perdi-me de mim...

    ResponderExcluir