Linguagem[+]

terça-feira, 4 de abril de 2017

SESSÃO DE SAUDADE - ACADÊMICO ALCIDES ABREU - ACADEMIA CATARINENSE DE LETRAS

     
imagem web

     A Academia Catarinense de Letras realizará dia seis do mês em curso (6/04/2017) às dezenove horas em sua sede à Av. Hercílio Luz, 523, Sessão de Saudade do ilustre acadêmico, o catarinense Alcides Abreu.
     Através do amigo fraterno Ariel Abreu, seu sobrinho, Alcides transformou-se em um amigo paternal que tive, ajudando-me em diversas circunstâncias. Com ele, também aprendi muitíssimo, quando da sua atuação como Coordenador de um Ciclo de Estudos da Escola Superior de Guerra, que por estudos regionais que fizemos juntos em viagem de um mês no Norte do País, estreitamos nossos laços de amizade. Viagem essa, que no retorno, em escala no Rio de Janeiro, ao decolar estourou um pneu da aeronave e no procedimento de descarte de combustível que durou uma hora, nos passavam instruções à aterrissagem de barriga, instantes em que Alcides Abreu demonstraria sua fleuma e sabedoria. No rasante de reconhecimento da pista e para que a torre de controle verificasse a real extensão dos danos no trem do pouso, os passageiros, ao enxergar uma quantidade enorme de carros de bombeiros e ambulâncias enfileirados paralelamente ao longo da cabeceira da pista, foram à loucura. A histeria explodiu em choros, gritos e lamentos. O professor Alcides, de fala mansa, antes da ordem do comando para que ficássemos em posição fetal em nossos assentos, levantou-se e saiu pelo corredor a acalmar a turma inconformada. Feito o pouso infernal cheio de riscos, em que o avião, depois da reversão das turbinas ao largar o rodado avariado sobre o solo, a estremecer todo, rodopiou em cavalo de pau, e parando, houve uma calorosa salva de palmas de alívio. O professor Alcides nada comentou, como se fosse um procedimento normal.
      Alcides Abreu foi um gênio catarinense. Despontou desde cedo, culminando com seus estudos na famosa universidade francesa Sorbonne de Paris. Em Florianópolis, além de professor de Economia e de Direito na UFSC, assumiu cátedras em várias outras universidades, inclusive em Brasília, onde também foi gestor do Banco Regional de Desenvolvimento de Brasília, local em que teve contato com o engenheiro Colombo Machado Salles assessor do Prefeito daquela cidade, Plínio Cantanhede. 
     No início de sua carreira, lançou-se em concurso para promotor de justiça, e classificando-se, assumiu na comarca de Ibirama. Em outro concurso para executivo na empresa americana Shell, Alcides passou em primeiro lugar, seguindo, então, a Salvador na Bahia em seu novo trabalho. 
     Foi ainda conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina. Depois diretor do Cooperativismo Catarinense.
     Ao convite do candidato a governador, o Senhor Celso Ramos, o professor Alcides arquitetou um excelente plano de metas para um governo. Ramos eleito, Alcides executa o projeto que se chamou PLAMEG – PLANOS E METAS DO GOVERNO. Por bem elaborado, através desse plano deu-se a criação do Besc, Badesc, Celesc e outras empresas e fundações. Posteriormente, Dr. Alcides veio a criar uma secretaria abrangente para o governo, denominada de Secretaria sem Pasta, porém englobava muitas delas ao mesmo tempo. Idealizou a Secretaria do Oeste para o Oeste Catarinense, a Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC e também trouxe o SENAI para o Estado, sendo seu diretor regional. Como diretor da empresa de telefonia do Estado, Cotesc, com a assessoria Jurídica de seu irmão Hélio, passou os ativos para um nova empresa federal que veio a ser a Telesc onde foi diretor e trouxe para o Estado as ligações de discagem direta e a de discagem direta à distância.
     São inumeráveis seus atos e fatos que ajudaram a engrandecer Santa Catarina. Quando Jânio Quadros assumiu a Presidência da República pediu, ao então governador Celso Ramos, para que abrisse mão de seu auxiliar Alcides Abreu a ser aproveitado em um ministério de Brasília e a resposta do Governador foi outro pedido – que por favor, o presidente não insistisse a tirá-lo daqui, pois seria como se ele estivesse a levar toda Santa Catarina. Não abrindo mão de seu assessor dileto, pôde fazer um excelente governo. 
    A última vez que encontrei com meu mestre foi em frente ao Hospital Celso Ramos à Avenida Prof. Othon Gama D’Eça, em que ele, como sempre, vestido todo de branco, alegre, me homenageou com seu afeto característico exaltando meus méritos. Depois fez uma crítica profética. Comentou: “Laerte, o Brasil precisa de engenheiros honestos como você e não desses engenheiros mentirosos que vivem a vender ilusões! O que você acha desse tal de Eike Batista que quer empreender em Biguaçu?” Depois de dar minha opinião, ele a contestou dizendo: “Não! Esse homem é um vendedor de ilusões. Ele não tem um tostão no bolso. Se virá-lo de cabeça para baixo, não cairá um só centavo de seus bolsos. Todo dinheiro que tem é escritural, é feito de papéis em bolsas. Vai haver um dia em que quando os acionistas pedirem resgates do que aplicaram, os ativos dele não darão para pagar metade da dívida.” 
Tudo faz parecer que ele estava certíssimo.
     Alcides faleceu em 22 de julho de 2015 aos oitenta e oito anos de idade, deixando a inseparável companheira Ednete Souza Gallotti e três filhas – Márcia, Maria Alsina e Ana Cláudia.

ALCIDES ABREU - O IMORTAL    
Autor: Laerte Tavares 

Amigo Alcides Abreu,
Acadêmico e imortal,
Tu foste o mais genial
Dos seres que o ser meu,
Enlevado, conviveu
Em doce e terna amizade.
A tua lembrança invade
Minha mente, qual magia
Feita estrela d'alva, guia,
Representada em saudade.

Recebe essa meritória
Homenagem de ofício
Desse egrégio sodalício
Onde és parte da memória
Para compor nossa história,
Cuja parcela se encerra
Com teu palmilhar na Terra
A engrandecer nosso Estado 
Pelo grandioso legado
Do ilustre filho da Serra.

Filho de seu Hermundino
E da senhora Elza Kumm
Nasce um menino comum
Qual tantos, mas o Divino
Fez desse ilustre menino
Um ser a ser magistral:
Dos imortais, o imortal
Que de imortal é eterno!
Eis o meu preito fraterno
A um ente excepcional!


40 comentários:

  1. Um homem de visão clara.
    Gostei da homenagem poética.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Realmente, Laerte, um ser humano extraordinário! Veja só o caso do Eike Batista! Acertou em cheio, se Alcides Abreu soubesse onde se encontra o Eike... gostei de tudo, inclusive do lance do avião, Virgem Maria!!
    Muito bonito essa homenagem sua, belo poema!
    Abraço Gaúcho, daqui dos Pampas que tanto conheces!

    ResponderExcluir
  3. Uma bela homenagem, meu amigo Laerte, para esse homem da ciência e do saber humanístico, membro que foi da Academia Catarinense de Letras, por certo por todos os seus méritos, pelo que acabo de ler sobre sua vida. Como não morei em Florianópolis, não cheguei a conhecer o teu amigo e mestre Alcides Abreu (talvez eu tenha conhecido o sobrinho dele, o também teu amigo Ariel, em Blumenau). Amanhã a Academia deverá contar com todos os seus membros, com futuros acadêmicos e muitas autoridades e amigos do Dr. Alcides Abreu, que de ti mereceu também esse excelente poema, "Alcides Abreu - O Imortal". Os amigos são assim mesmo, Laerte, sabem o valor dessas grandes amizades, que nunca morrem. Parabéns pela sincera homenagem ao Mestre.
    Um grande abraço. Pedro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande amigo, realmente o Ariel Abreu é sobrinho dele e foi exatamente o Ariel que passou-me dados do tio quanto sua filiação. Ariel é meu vizinho de mesma Avenida e temos uma amizade fraterna com quem irei encontrar hoje à noite na Sessão de Saudade do egrégio sodalício e teu nome Pedro haverá de ser comentado em meio as recordações com as gozações do Ariel, por ser ele, um gozador emérito. Lembras do carro banheirão que ele desfilava com a namorada, a cinco por hora, na Alameda Rio Branco? Minha gratidão e meu abraço fraterno, amigo! Laerte.

      Excluir
    2. Pois é, amigo Laerte, como esqueceria desse gozador, que um dia nos disse que o pai da guria, com quem estava namorando, é que deveria agradá-lo, pois era ele quem tinha filha para casar. E também, como esquecer daquele carro do Ariel, um baita banheirão desfilando na Alameda? Dá um abraço naquela fera.
      Um grande abraço ao amigo. Pedro

      Excluir
  4. Boa noite Laerte.
    Que bela homenagem,pela sua descrição bem merecida. Quanto ao seu relato do incidente ou acidente do avião. Que calma e sabedoria do seu amigo. Acho se algo assim acontecesse comigo nem teria pernas para levantar do acento. Piorou levantar para acalmar rsrs. São pessoas assim que muito admiro,que pensam nas pessoas antes de si mesmas. Eu sou espírita então creio que o seu amigo fez da existência algo brilhante e está vendo os seus lindos frutos onde esteja. Lindo o seu poema. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, ele também era espírita e sempre se trajava de branco. Minha gratidão. Abraço fraterno. Laerte.

      Excluir
  5. Que linda homenagem ! Fiquei maravilhada !!!
    beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Olá, amigo e Engenheiro Laerte (sem risos, pke você merece mesmo esse título académico)!


    Como vai? Já com o Outono, por aí, mas o importante é transformar o castanho da natureza em verde. Aqui, a Primavera está difícil de chegar, embora já estenda, timidamente os braços a partir das 10h e até às 16/17h, de cada dia.

    Estava lendo seu texto e pensei que a homenagem, k hoje vai ser feita ao Dr. Alcides Abreu, se relacionava com alguém k tinha vivido no século XIX ou mesmo XVIII (risos).

    A descrição da aterragem do avião está fantástica e até parece k estamos vivendo o episódio. PARABÉNS, DR. ALCIDES ABREU! Competência, seriedade e mansidão, são o polinómio perfeito para o sucesso.

    Mas, ainda há homens, desse jeito, por aí? É que este senhor, Dr. Alcides Abreu, fez de tudo um pouco, e fez tudo MUITO BEM, sempre com maestria, seriedade, calma, sabedoria e amor ao seu semelhante.

    Você, como engenheiro que é, e aceitando o conselho de DR. Alcides, bem k poderia e se pretendesse, se tornar político em sua região. Nunca pensou nisso?

    Como ele previu Eike Batista morreu sem um centavo no bolso e a família não deve ter ficado nada bem, economicamente. Enfim, já lá está!

    Que o evento decorra o melhor possível. Tem de decorrer, pke o Dr. Alcides Abreu vai estar nos "bastidores".

    Um grande abraço, luz e mta paz.

    ResponderExcluir
  7. Ah, estava esquecendo os versos k fez em honra do Dr. Alcides Abreu, que exprimem aquilo que ele foi e tb aquilo que você sente por ele.

    Você é um engenheiro poeta. Agradeço os magníficos versos, que você deixou em minha penúltima postagem.

    Beijo e fico aguardando você.

    ResponderExcluir
  8. Caro amigo,
    Quanta me orgulha essa amizade, recente, é verdade, mas já aprendi o quanto você preza as boas relações. Essa homenagem que presta ao amigo Alcides (seu) é comovente. E os detalhes da convivência e o "modo" de descrevê-los revelando uma admiração muito grande. E o que nos faz acreditar como ele ele era diferente dos homens públicos de hoje. Sei, há exceções. São tão poucas. Ou tão raras.
    E o belo poema, sempre lavrando com acuidade, esmero e talento.
    Forte abraço,

    ResponderExcluir
  9. Amigo Sant Ana, fico comovido por tamanha deferência à minha pessoa. Sou um pobre mortal como tantos, e por ser mortal procuro viver o hoje como se fosse o sempre. Graças a Deus não tenho um único desafeto com amigo, muito menos inimigo. Isto porque sempre me coloco no lugar do alheio para tomar uma iniciativa. Quando a tolerância não for possível dá-se o desprezo que é a arma mais mortal à alma. Você tem a marca dos iguais a mim e é um irmão meu. Sou feliz por tê-lo de amigo. Minha gratidão! Abraços a ti e aos teus. Laerte.

    ResponderExcluir
  10. Há professores assim, que nos deixam saudades e gratidão pelo muito e importante que nos ensinaram!

    ResponderExcluir
  11. O amigo Laerte fez aqui uma comovente homenagem a um amigo querido, ficou aqui mais uma vez demonstrado o seu excelente carácter.
    Há pessoas que cruzam a nossa vida e que nos marcam para sempre, saber honrá-las é uma virtude.

    Beijinho com admiração

    O Toque do coração

    ResponderExcluir
  12. Olá Laerte,

    Esse epsódio do avião foi traumático, hein? Com certeza, inesquecível para quem estava no voo.
    Belíssima homenagem ao seu amigo, o ilustre acadêmico Alcides Abreu, possuidor de um histórico curricular invejável e meritório. Há amigos assim, que fazem a diferença e que se eternizam em nosso coração.

    Lindo o soneto que você deixou em meu recanto, em forma de comentário. Obrigada!

    Feliz Páscoa para você também!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  13. Uma homenagem e tanto, merecidamente, Laerte!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Uma bela homenagem e bem merecida. Parabéns pelo blog. Amei sua doce e poética visita no meu cantinho. E a linda poesia que lá deixou. Amei, amei. Um abraço e um bom final de semana.

    ResponderExcluir
  15. Laerte, lindo o gesto de admiração que você sempre teve pelo Prof. Alcides, principalmente na convivência profissional e de amizade. Parabéns pela bela homenagem que prestas em reconhecimento, nesta ocasião, a tão importante e profícua contribuição prestada por ele ao Estado Catarinense.

    ResponderExcluir
  16. Gostei. Não estou por dentro, mas achei uma homenagem
    bonita.Apreciei seu comentário no meu Blog..,Muita simpatia.
    Um bom domingo....
    Abraço

    ResponderExcluir
  17. Olá, Laerte
    Embora o assunto me seja completamente estranho, considero esta postagem uma excelente homenagem ao Dr. Alcides Abreu, que não tive o prazer de conhecer.
    Por tudo que você relata podemos constatar que se tratou de um grande Homem, merecedor dos elogios que você lhe tece.
    Parabéns (póstumos) ao Dr. Alcides Abreu, e parabéns a si que tão bem o homenageia, tanto no texto quanto nos versos.

    RE: Declaro-me completamente rendida perante tão lindo versejar!
    Serei merecedora? Caso para dizer: Agradeço mas não mereço… :)))
    OBRIGADA!

    Votos de um Domingo feliz
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  18. Esqueci... :)))))))))))
    VOTOS DE UMA MUITO FELIZ PÁSCOA, COM MUITO AMOR E ALEGRIA.

    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  19. Uma homenagem de certeza bem merecida a esse ilustre académico.
    Um abraço e bom Domingo.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderExcluir
  20. Meu novo amigo que com prazer o recebo lá em um dos meus espaços,Laerte, tens uma sensibilidade ímpar, pois com essa homenagem mostras o espirito de reconhecimento dos valores que levam pessoas como ele, o Imortal Alcides de Abreu, a ser mesmo imortal nas mentes dos que o conheceram!
    Amei ler aqui, obrigada pela amável visita e comentário, deixo abraços apertados!

    ResponderExcluir
  21. Que suuusssto essa do avião! Bela homenagem em forma de verso, amigo. Abraços!

    ResponderExcluir
  22. Bela homenagem! Pessoas que marcam nossa vida nunca deixam de existir! Perpetuam no coração e na memória afetiva!
    Tenha uma linda semana e uma Páscoa muito feliz!

    ResponderExcluir
  23. Que homenagem bonita. Obrigada por sua visita lá no blog.

    Abraço e Páscoa feliz.

    Isabel Gomes

    ResponderExcluir
  24. Já ouviu dizer que recordar é viver?
    Está aqui uma boa prova.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderExcluir
  25. Buenos días Laertes. Lo primero darte las gracias por dejarme tan bello comentario en mi blog.
    Aunque desconozco al doctor citado, tengo que reconocer que el homenaje que le haces en esta crónica y el poema del final, son muy hermosos, donde se nota el aprecio que le tenías.
    Ha sido un placer tu visita.
    Un abrazo y buena semana.

    ResponderExcluir

  26. Laertes Olá !
    Obrigada pelo belo poema escrito no meu blog em
    homenagem Flores do dia!
    Quando a minha vez vai dorescva Desejamos-lhe uma Páscoa feliz com seus entes queridos!
    Uma semana fácil para você!
    Obrigado por visitar e abraço!


    http://elenax2009.blogspot.ro/

    ResponderExcluir
  27. Olá
    Quantos feitos e que grande homem, precisamos de homens assim, fiquei abismada com tantos feitos, a nossa catarina não seria o que sem ele.
    Abraço.

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Olá, Laerte!

    Obrigado por ter comentado o meu post no Luz do teu olhar.
    Um engenheiro e um economista a escrever poemas é quase meter foice em seara alheia. Mas, felizmente, ninguém tem o monopólio da sensibilidade e da bondade.Ser poeta é,... dar-se de alma e coração coma emoção de mãos dadas com a razão.
    O meu bem haja e , nunca é demais falarmos dos homens bons.

    ResponderExcluir
  29. Olá Laerte! Imagino q este episódio do avião fez de ti um homem com mais coragem ainda de viver. Há pessoas que eternizam em nós. Uma linda homensagem à tua nobre amigo.Muito Obrigada pela linda poesia lá na maison.Grande abraço e uma santa Páscoa para si e família!

    ResponderExcluir
  30. Olá, " SILO LÍRICO" !
    Acrescenta as tuas emoções, as minhas lágrimas
    de saudade do meu grande Professor...
    Feliz Páscoa e um fraternal abraço de parabéns,
    pela bela homenagem.
    Sinval.

    ResponderExcluir
  31. ¡¡Hermoso y merecido homenaje!!

    Hay seres que nunca se van de nuestro lado, nos dejan su palabra y su ejemplo.

    mariarosa

    ResponderExcluir
  32. Nunca ouvi falar do seu homenageado, mas pela descrição foi um grande homem. E o seu sangue frio no incidente do avião deve ser caso único...
    E gostei do seu poema, é magnífico.
    Tem uma Páscoa Feliz, caro Laert.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  33. Hola, Laerte!

    No cabe duda que hay personas o personajes que dejan huella, el texto es un gran homenaje citado señor que no tengo el gusto de conocerle, mas con tantas buenas obras... Se lo merece y, luego el precioso poama que me encanta.

    Bien, pues te dejo mi gratitud por tu huella en mi puerto marinero y, toda mi estima. Mil gracias de nuevo, por los verso lindos, todo un honor!.

    Feliz Semana-Santa-Y-Pascua de Resurrección.
    Un beso.

    ResponderExcluir
  34. Só quando temos alguém que nos marca tão profundamente é que somos capazes de escrever assim: com rasgo emotivo!
    Gostei imenso desta partilha: da primeira parte, percebemos a razão do escrito, na segunda, a arte poética do Laerte!
    Um ótimo Domingo de Páscoa, amigo.
    Bjinho :)

    ResponderExcluir
  35. Magnífica homenagem, tanto no histórico da vida do ilustre Alcides Abreu como da poesia encantadora. Abraços ternos!

    ResponderExcluir
  36. Agradeço a todos e a cada um em particular por tão valiosa colaboração opinativa com tantos acertos e reconhecimentos, com o comentário de seu ex-aluno Sinval Santos da Silveira que para complementar minhas emoções sugeriu-me a acrescentar as suas lágrimas, por tanto carinho que dispensa ao Mestre Alcides. Cordialmente. Laerte Tavares.

    ResponderExcluir