Linguagem[+]

quinta-feira, 23 de março de 2017

SAÚDE PAZ E AMOR


Hoje cedo levantei e à janela olhei o mar, lembrando ser aniversário da minha cidade que deveria chamar-se ondina, a ninfa das águas e chama-se Florianópolis em homenagem à figura déspota, segundo algumas opiniões de cidadãos daqui. A cidade denominou-se inicialmente, Póvoa de Santa Catarina, por estar situada à Ilha de Santa Catarina. Depois Póvoa de Nossa Senhora do Desterro. Posteriormente, Vila do Desterro, e finalmente o nome atual.

Ao meu gosto, seria Ondina, nome de mulher, deusa, como realmente ela é – divina, maravilhosa e adorável. Não poderia deixar de homenageá-la com um poeminha à musa e deusa de meus sonhos, neste dia.

Ilha, ao teu aniversário,
Eu te saúdo e devoto
O mais extraordinário
Amor, de tempo ignoto!

Saúde!... Contigo eu brindo,
Erguendo alto esta taça!
Peço a Deus a luz e graça
Ao teu futuro, bem-vindo,
Oh Ilha!... Que seja lindo
Teu porvir, amor de Ilha!

Tu és estrela, és a filha
Da luz, posta ao oceano
Com o destino soberano
De uma estrela que brilha.

Só quero paz, a esta Ilha!
Extrema paz sem ser morte.
Quero a única quadrilha
Que tiver que ter, por sorte,
Seja a de festa junina
Sob proteção divina.

Mais paz, e muita alegria
A esta Ilha de idílios,
Terra de luz e magia!
Que acima do supercilio
De quem na Ilha pensar,
Pense no bem do lugar!

Meu amor, por ti, Amor,
É amor sem dimensão,
Intenso qual explosão
Do meu ser interior
A expandir seu clamor
A torto e a direito, a torto...
Desde que fundeei no porto
À tua beira e fiquei
Morando por gosto – lei.
Zarpar? Só depois de morto!... Talvez...





34 comentários:

  1. Que bonita homenagem, Laerte! Realmente Florianópolis é linda, apresenta um ‘quê’ português em suas ruas, na sua arquitetura, no mercado, no sotaque do povo... Assim a gente sente quando visita essa ‘senhora bonita’! É muito bom quando temos uma sintonia grande com o lugar que nascemos, que vivemos. Faz parte da nossa alma. Parece que vivemos um eterno poema. Sei o que você sente.
    Meu abraço gaúcho a vocês e Florianópolis!

    ResponderExcluir
  2. Adorei essa poesia e homenagem.Gosto muito de Floripa,maravilhosa com suas praias deliciosas e lindas! Parabéns! abraços,chica

    ResponderExcluir
  3. Acróstico
    Ilha do Desterro

    Foi nos velhos anos setenta que por aqui
    Literalmente cheguei pra fazer meu lar
    O lugar mais supimpa e lindo que vi
    Residimos onde os demais vêm passear

    Insular pedaço de nação brasileira
    Ancorado neste mar de praias serenas
    Nas areias o moço paquera a sereia
    Ólhó, essas estupendas belas morenas!

    Pois hoje faz anos a Floripa tão bela
    O que nos obriga lhe fazer homenagem
    Lindo panorama aqui da minha janela
    Incrível é conviver com esta paisagem
    Sem degustar cada menor gotinha dela.

    ResponderExcluir
  4. Bela homenagem para uma linda cidade. Um grande abraço ao povo de Florianópolis.

    ResponderExcluir
  5. Ondina, então minha musa linda
    Te namorei na jovem idade da pureza
    E do teu rosto ficaram traços de certeza
    Na recordação que ainda hoje predomina.

    E tu, cidade capital em tempos idos
    De igrejas mil, de ouro revestidas
    Te visitei na doce idade das minhas vidas
    E de couro artesanal são as imagens ainda tidas.

    Ambas, amores que foram
    Revisitar-vos é estar vivo
    E que as belezas não morram.

    Belo texto e poema

    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Gostei desta bonita poesia
    Dedicada à terra por nós amada
    Estando longe por ela sentia
    O calor duma namorada.

    Com o meu abraço

    ResponderExcluir
  7. *Porque o nome Ondina, foi a primeira capital do Brasil, pós Achamento, não poderia, a Sul, ser repetido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha gratidão pelo belo poema acima e honrosa visita. Gosto de ancorar dados à história, e essa informação que São Salvador chamou-se Ondina, surpreendeu-me. Eu conhecia apenas que a cidade passou a chamar-se São Salvador da Bahia de Todos os Santos, depois Arraial do Pereira, a seguir de Vila Velha e finalmente Salvador. Existe em Salvador um bairro com o nome de Ondina tal qual uma outra cidade brasileira, mas Ondina para a capital brasileira, não conhecia. Se o amigo em Portugal dispuser de outras informações acerca de, fico grato. Aqui não chamou-se Ondina porque os políticos da época quiseram homenagear Marechal Floriano Peixoto, vencedor da batalha republicana onde a maioria dos habitantes da Ilha era conservador pró Império e para aplacar a tirania do ímpio vencedor que mandou fuzilar figuras proeminentes daqui por terem ideias contrárias às suas (ai dos vencidos!...) puseram seu nome inoportuno numa oportunidade excelente, pois todos, há muito tempo, queriam trocar o nome da Desterro de então. Abraços. Laerte.


      Excluir
  8. Antes de mais, deixa que diga que fui pesquisar sobre a cidade, ficando agradavelmente surpreendida com o que li na Wikipédia (https://pt.wikipedia.org/wiki/Florian%C3%B3polis). Posto isto, o poema com que a homenageias, além de traduzir eloquentemente o teu amor, dá-nos a imagem harmoniosa e apelativa com que fiquei após a pesquisa. Por isso, parabéns ao poeta e à aniversariante.
    Bjo, Laerte :)

    ResponderExcluir
  9. *Erro: Olinda, e não Ondina
    Onde se lê uma deverá ler-se outra.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Amigo Laerte:
    Veja como as coisas são:
    Andei com esta ideia 'vendida' pelos 'muleques'(cicerones) de Olinda, durante bastantes anos, de que esta bela cidade, perto do Recife, tinha sido a primeira capital da colónia brasileira.
    Teria sido enganado ou estariam certos?
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu amigo! Recife é capital de Pernambuco e Olinda, uma linda cidade próxima à capital considerada capital cultural brasileira, onde os jovens eram estimulados e treinados para ciceronear turistas. Um chavão muito usado por eles (esses garotos) e do qual não se sabe ao certo, se a assertiva, seria mesmo a de que um fidalgo português ao chegar ao pé da localidade e deslumbrado com a paisagem exuberante, proclamou: Oh linda situação para se fazer uma vila!" E a vila foi construída, e, por conseguinte "o linda" ou Olinda ficou de nome à vila. Minha gratidão. Grande abraço. Laerte.

      Excluir
  13. Venho agradecer e retribuir a visita ao meu Rochedo. Gosto muito da sua cidade, mas não sabia que aniversariava hoje. Muitos parabéns.

    ResponderExcluir
  14. Nossa terra natal é tudo pra nós e hoje, que ela é aniversariante, há um orgulho redobrado.

    Amei os versinhos, que lhe dedicou, amigo Laerte!

    Abraços e dias de paz e luz.

    ResponderExcluir
  15. Assim que ai cheguei, a trabalho educacional, foi amor à primeira vista! Um paraíso! Beleza deslumbrante! Parabenizo aos seus moradores pela data, e a você pelo poema-homenagem! Realmente, é um presente divino habitar Floripa!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  16. Uma bela cidade que carinhosa chamam Floripa que bem se molda ao Ondina tão sonhado nobre poeta. Sua homenagem está perfeita e linda como Ondina.
    Também sou contra trocar nomes de cidades e espaços em favor de algum politico.
    Viva Floripa.
    Um abraço amigo.

    ResponderExcluir
  17. Muito obrigado pelo comentário =)

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  18. O seu imenso amor por ela está muito bem representado neste seu belíssimo e sentido poema amigo Laerte.

    Curiosamente a minha querida mãe chama-se Olinda e já tem a bonita idade de 87 anos :)

    Um beijinho e bom fim de semana
    O Toque do coração

    ResponderExcluir
  19. Um poema belíssimo de homenagem à sua cidade!
    A foto da baía está espectacular!
    Quero agradecer-lhe o magnífico soneto que deixou como comentário no meu blogue.
    Beijinhos e bom fim de semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
  20. Lindo e apaixonado poema exaltando a sua cidade. O amor que lhe tem está patente em cada verso.
    Parabéns à cidade e ao poeta.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  21. Meu caro poeta,
    Antes, agradecer as palavras generosas que sempre deixas no meu espaço. Sempre gentil e um leitor voraz, sobretudo poeta.
    A Ilha de Santa Catarina merece parabéns o ano inteiro, pois é um espaço vital, é respiração. E o seu poema é uma singela homenagem à intimidade e à fecundidade dessa terra maravilhosa!
    Forte abraço,

    ResponderExcluir
  22. Maravilhosa homenagem à sua cidade.
    Um abraço
    Maria

    ResponderExcluir
  23. Caro Laerte,
    Fiquei muito contente com o poema que dedicou ao "Palavras Sem Jeito", no fundo a mim próprio. Muito, muito obrigado. O próximo post, do "Palavras Sem Jeito", vai ser precisamente o seu poema.
    Mais um vez muito obrigado. Um grande Abraço.

    ResponderExcluir
  24. Caro Laerte
    Acho o nome de Ondina muito lindo, e penso que assentaria muito bem nessa cidade que, pela foto, adivinhamos belíssima.
    Não é de estranhar que, principalmente no seu (dela) aniversário, lhe preste tão bela homenagem através desse lindo poema.
    O amor que sentimos pela nossa terra é, geralmente, grande, e o amigo deixa-o transparecer nestes versos que connosco partilhou.
    Parabéns!

    Bom final de Domingo
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  25. Bela poesia à cidade amada!

    Boa semana, amigo.

    ResponderExcluir
  26. Pois é, meu amigo Laerte, como poderia eu pensar que tu, poeta que és, deixar de escrever com tintas do coração um poema capaz de se aninhar nas suas quarenta de duas praias, tão grande é o teu poema, maior ainda a inspiração pela cidade que amas como o filho que se desdobra em amores à mãe. Pois é amigo poeta, no meu entender esse amor por Florianópolis é uma estrada de duas mãos, pois o que ela te deu estás agora devolvendo em elevados versos, e logo dará a ela, tua Ilha, a honra de te ter como mais um membro da Academia de Letras de Santa Catarina. Amor, poeta, com amor se paga. Qual perito, vejo que a balança está em pleno equilíbrio: mãe e filho numa união de amor.
    Parabéns pelo excelente poema, escrito para a tua Florianópolis, que aniversaria.
    Um grande abraço. Pedro.

    ResponderExcluir
  27. Conheço Ondina pela afeição que familiares e amigos lhe devotam. Tenho ideia de uma cidade plena de originalidade e inspiração. Dizem eles que ali o Brasil tem outro pulsar. Será o amor a falar?
    Por mim, embora não tendo sido chamada à colação, voto em Ondina,
    pois então!
    Sensibilizada, deixo um abraço de parabéns.

    ResponderExcluir
  28. Um poema lindo, para comemorar uma linda cidade!
    :)

    ResponderExcluir
  29. Também gosto mais do nome Ondina e gostei do poema.
    Gostava de um dia poder conhecer a sua cidade.
    um beijinho
    Gábi

    ResponderExcluir
  30. Laerte, o que eu aprendi consigo...
    Parabéns à bela Ondina e ao poeta que tão bem soube homenageá-la.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  31. Descubro tu blog y con tu permiso me quedo por aquí.

    Feliz tarde.

    Besos.

    ResponderExcluir
  32. Singrando sobre ondas claras,
    veleja a poesia
    E a alma do poeta se espraia
    ao sabor da maresia
    Ao vento, enfunam-se as velas
    ao encontro das musas mais belas
    E em lírica cristalina
    Canta o poeta a sua Ondina.

    Obrigado pela visita tão gentil e formosa poesia a nós oferecida! Um grande abraço, temos prazer em conhecê-lo.
    Bíndi e Ghost - A Esquina dos Versos

    ResponderExcluir