Linguagem[+]

domingo, 21 de agosto de 2016

É OURO!... É OURO!... É OURO!


imagem web

Viva o povo brasileiro!
Viva a nação brasileira!
Viva a Pátria e a bandeira!
Viva o país altaneiro!
Vivas!... A que o mundo inteiro
Saiba que o nosso país
Vive um tempo que condiz
Com olímpicas vitórias
Por condições meritórias
De um povo alegre e feliz.

A medalha conquistada
Pelo nosso futebol,
Graças a Deus, vem em prol
Da demonstração que nada
Abala esta Pátria amada
De um povo nobre que luta
E ao vencer a disputa
Troca o stress pela calma,
Vibra com o bem, lava a alma
Com alegria absoluta.

Depois de tantos percalços
E a política refletida
No povo e na sua vida,
Felizmente há um espaço
Para travar novos laços
Com a fé e a reconstrução
Desta roubada nação
Por políticos safados,
Cujos nefastos legados
Impronunciáveis são.

Vislumbra-se a nova cena:
Sai de palco o feminino,
Entra o time masculino.
No futebol é uma pena,
Mas a política acena
Com uma mudança total.
A plenitude do mal
Passou. Virá a vitória
Do povo à sua glória,
Depois do apito final.

Fechou o sinal vermelho,
Abriu-se o verde à frente,
Arranquem que atrás vem gente
E vai aqui um conselho:
Não olhem pelo espelho
Retrovisor, e viajem
Com muita fé e coragem
Esquecendo do atoleiro,
Como um fato passageiro
E foi feita ultrapassagem.

Do caos reflui a vitória.
Nasce o fruto do caroço
Assim, do fundo do poço
Refluirá nossa glória
Para ficar na memória
Dos brasileiros vindouros
Nossas honras, nossos ouros,
Na Olimpíada brasileira,
Que feita à nossa maneira,
Rendeu a nós muitos louros.

Eis um novo amanhecer
Para um Brasil glorioso,
Lúcido e em pleno gozo
De seu juízo ao dever,
Cujo mote é só vencer,
Nesta luta a um futuro
Mais promissor, mais seguro,
Mais ordeiro e de progresso
Sem que haja retrocesso
Àquele lado obscuro.

A Olimpíada é
Belo banho para a alma.
O estresse dá vez à calma,
A incredulidade à fé.
O futebol de Pelé
Voltou. E há de chegar
Um presidente exemplar
A governar o Brasil;
Feminino ou varonil,
Mas com a cabeça no lugar.

Esta Olimpíada ensina
Princípios fundamentais,
Sejam éticos ou morais,
É preciso disciplina
Semelhante a que domina
Ordenação militar:
Ser necessário lutar
Para vencer a batalha,
Para ganhar a medalha
Ou para um quinto lugar.

Vivemos um Brasil novo
Que renasceu de si mesmo
Sem parto. Surgiu a esmo
Como a galinha do ovo...
Nasceu da força do povo
Como Tiago e Ezequias.
O país se avulta em vias,
Talvez transversas, porém
Por forças não do além,
De suas garras bravias.

É o Brasil de Rafaela,
Brasil de Tiago Braz,
Brasil de um Bruno que faz
A diferença. E na vela
De Martine e amiga dela.
Mais do Robson Conceição
E Poliana. É a Nação
De Ágatha, Adilson, Felipe,
Mayara, e de uma equipe
Do Futebol campeão.

Brasil de toda essa gente
E Brasil de outros e tantos
Que se afogaram nos prantos
Por não chegarem na frente,
Por distração simplesmente
Ou por desígnios seus.
Brasil que dizem que Deus
É brasileiro. E parece.
Por isso rezo uma prece
Agradecendo o Supremo
Pelo nosso orgulho extremo
De merecer tal benesse.

Viva a Nação Brasileira!
Viva a Pátria e a sua gente!
Viva o Brasil novamente
Singrando na antiga esteira
Próximo ao cais da fronteira
De se projetar na história
E fazer sua memória
Grandiosa e sem igual,
De um país continental
E de grandeza notória.

O Brasil mudou o rumo
E não mais se faz arrogo
De ladrões. Mudou o jogo.
No futebol tomou prumo,
Na política, em resumo,
Parece haver mais decoro
Como um futebol sem foro,
Sem zagueiro ou atacante,
Mas o goleiro é o bastante.
Chamam-no de Senhor Moro.



Nenhum comentário:

Postar um comentário