Linguagem[+]

domingo, 5 de agosto de 2018

CONSCIÊNCIA


Minha querida Armação - foto do amigo Paulo Veríssimo

Depois de uns dias de descanso merecido, em nossa casinha de praia em Armação do Itapocoróy, minha estimada pátria ou Haimat, como dizem meus amigos de descendência alemã, ou “à casa de mamã”, como dizem por cá, volto ao domicílio e ora à blogosfera, distanciado há dias. Apresento escusas pela ausência e possível interpretação de desleixo com relação à lealdade aos amigos que vieram ao meu espaço sem que tivessem retorno. Aqui estou; “pela graça de Deus e Nosso Senhor Jesus Cristo”, como dizem por lá! Prometo que paulatinamente voltarei a visitar todos da minha relação. De consciência pesada, fiz uns versinhos:

CONSCIÊNCIA

A consciência humana é a campainha
Que alerta a nossa alma imune à falha,
E quer no sono ou auge da batalha
Ela desperta a mente tão sozinha.

Mente que toca o coração em linha
À ética; e a moral atalha  
À ancestralidade, feito malha
Que une os nós aos fios da mesma linha.

A consciência humana é uma luz
Que surge à escuridão e nos induz
A enxergar na luminosidade.

E ao empedernido ser, ela é a cruz
Que ele carrega e sabe que faz jus
Não ter a consciência da verdade.

25 comentários:

  1. Lindo soneto, amei ler e tivestes inspiração, que bom te ler!
    Amei querido poeta!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  2. Seja bem regressado!!
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderExcluir
  3. Caro Silo, oggi sembra che la coscienza umana sia dimenticata!!!
    Ciao e buon pomeriggio con un forte abbraccio e un sorriso:-)
    Tomaso

    ResponderExcluir
  4. Bonita publicação. Parabéns:))

    Bjos
    Votos de uma óptima Segunda- Feira

    ResponderExcluir
  5. Que bom que descansaste por lá! E voltaste com bela poesia! abraços, ótimo retorno!chica

    ResponderExcluir
  6. Um soneto excelente, amigo.
    Espero que tenha um bom descanso.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Intenso seu belo poema e magistralmente escrito!!!
    ...
    Ando meia ausente pois tenho a filha hospitalizada com uma bactéria no intestino mas assim que sentir ânimo ... regressarei em força!!!
    ...
    bj

    ResponderExcluir
  8. Sublime, um regresso inspirado.
    Sempre um encanto poder passar por aqui.
    Desejo que tenham sido uns bons dias de descanso!
    Abraço

    Olhar d'Ouro - bLoG
    Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

    ResponderExcluir
  9. Retemperada a mente e o corpo, eis que nasce um belo soneto que nos fala da consciência, essa presença vigilante que nunca se distrai...
    Um abraço, e continuação de bom Agosto.

    ResponderExcluir
  10. Retorno,também, de um descanso.Gostei muito de sua poesia;.
    Um abraço.
    Élys

    ResponderExcluir
  11. Tu soneto es una especie de lección, un llamado al clamor de la conciencia, bitácora de vida. Cuánto lleva ella al obrar recto, pues además que guía, corrige el mal obrar humano. Un abrazo. carlos

    ResponderExcluir
  12. Belo regresso, amigo Laerte.
    Os "versinhos" feitos "de consciência pesada" são encantadores.
    Grande abraço.

    De consciência pesada, fiz uns versinhos:

    ResponderExcluir
  13. Dar uma parada é excelente! Você merece. E nos brinda com lindo momento em que a consciência fala mais alto! Seja bem-vindo!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  14. Bello e intenso poema.....saludos... un gusto volver a leerte.

    ResponderExcluir
  15. Que belos versos!
    Que esse tempo de descanso
    alimente a inspiração e nos
    presenteie mais e mais.
    Se desejar confere além do
    Espelhando esse outro blog meu
    http://reflexoemcoisasdemulher.blogspot.com.
    Abraço
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  16. Muito bom!

    E é bom que procuremos formar sempre bem a nossa consciência para sabermos discernir o que é bem e o que é mal que se nos apresentam no dia-a-dia, porque tantas vezes o mal se mascara de bem.

    Abraços, amigo!

    ResponderExcluir
  17. Ola Laerte!
    Descansar também faz bem...
    Abraços.

    ResponderExcluir
  18. Olá adorei os versos. Descansar faz bem pra alma. Também estou precisando e muito descansar.
    Obrigado por seguir meu blog, também estou seguindo o seu. Uma boa noite.

    ResponderExcluir
  19. A consciência é tão importante e parece que falha a algumas pessoas.
    Gostei do poema!

    ResponderExcluir
  20. Faz muito tempo não
    entrava na rota,
    eclipsado na sombra.
    Ando numa intermitência,
    melhor direi, dormência
    que me silencia.

    O amigo Laerte tocou-me,
    mesmo agora, no ombro:
    será isso consciência?
    Às dúvidas digo Pessoa:
    "Valeu a pena? Tudo vale a pena
    se a alma não é pequena".

    Abraço.

    ResponderExcluir
  21. Bom dia Laerte.
    Bom regresso. Um maravilhoso poema. Como o mundo seria melhor se cada pessoa colocasse a mão na consciência. E cada atitude fosse tomada com o objetivo sempre de ter a consciência em paz. Mas infelismebte muitos nem sabem o que é uma consciência em paz. Amei a oportunidade de ler o seu belíssimo poema. Um abençoado domingo. Abraços.

    ResponderExcluir
  22. Bom regresso.
    Todos temos esta necessidade de afastamento das redes sociais, é salutar
    Abraço e boa semana

    ResponderExcluir

  23. Ola Laerte,
    faço votos para que a consciência humana não seja em nenhum sitio acusada de algum mal e condenada a anos de prisão
    Deus nos livre que seja a prisão perpétua !

    no poema ela continua livre e bela :)

    abraço
    Angela

    https://poesiesenportugais.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  24. Bem merecido esse descanso e bem aproveitado pois este soneto leva uma carga de sentimentos que apelam ao sentido comum, cada dia menos habitual.
    Abraços de vida, para uma boa semana.

    ResponderExcluir
  25. Amigo, obrigado pelo comentário em meu blog e pelas palavras sempre gentis. São também meus sentimentos sobre seu belo trabalho em seu site. Parabéns!

    ResponderExcluir