Linguagem[+]

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

MINHA ILHA E MEU VINHO

Amigos, vivo em uma ilha que, desculpem a água na boca, mas, é ela de um esplendor e beleza sem par. Amo esta Ilha de Santa Catarina como o vinho que degusto diariamente. São minhas paixões, menores, depois de o amor pela família e amigos, mas são duas paixões frenéticas, que me arrebatam e levam-me por rotas luminosas a grandes êxtases da alma, e quando dou-me conta, a razão me acorda, e deduzo por quais caminhos palmilhei no devaneio.

Eis que está chegando o verão e com sessenta e tantas praias à disposição, seria impossível deixar de sair e brindar o calor com a gelada cerveja ou o chope geladinho. E aí está a minha ira - faltar com a fidelidade ao terno vinho tinto, primazia minha. E na falta da eterna lealdade canina, quero homenagear o doce amigo com dois pequenos poemetos para brindar nosso verão, que dezembro o trará de direito.

Aproveito ainda o ensejo para erguer a taça à Rachel de Queiroz, grande escritora brasileira que eu a lia na juventude, ainda. Hoje, a saudosa imortal completa o 107º (centésimo sétimo) aniversário, primeira mulher a entrar para a Academia Brasileira de Letras. Um brinde à Raquel escritora!...

Uma das mais desertas praias de nossa ilha - foto da web


Vamos aos sonetos, pois:

IN VINO VERITAS I


In vino veritas – verdade que assisto!
Pois quando o vinho nossa mente invade,
Transfere à alma toda a liberdade
De sentimentos e amor, pelo visto.

Bebeu Tibério, também tomou Cristo
O vinho às suas mãos e em verdade
Fez dele o próprio sangue da Deidade,
Deu graças ordenando: fazei isto...

Eu tomo à mão a taça o casto vinho
Sem procurar verdade, e adivinho
O que sem ele jamais saberia.

Na reclusão, não estando sozinho,
Eu o absorvo com afeto e carinho:
Verita est minha fantasia.
     Autor: Laerte S. Tavares

IN VINO VERITAS II


Tomo do vinho, enigma do amor
Como alimento da embriaguez
Do ébrio coração que pois se fez
Por próprio gosto, feliz ao torpor.

Se feito ao vinho, enigma for,
Ao coração a plena lucidez,
Tudo é mistério e será talvez
Mistério, a condição de sonhador.

In vino veritas – onde há a mentira?
O amor é uma verdade que delira
Em nossa mente, quer alegre ou triste.

Por isto quando bebo, tenho em mira
Fazer o amor vibrar ao som da lira
De uma opereta que minha alma assiste.
 Autor: Laerte S. Tavares 


42 comentários:

  1. Tin. Tin! Belo brinde à essa bela ilha que adoro e gosto muito de estar.

    Belos poemas e também a homenagem à Rachel de Queiroz! Abraços chica

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente fabuloso.

    Era o vinho meu Deus era o vinho,
    Era o vinho que eu mais adorava.
    Só por morte meu Deus só por morte,
    Só por morte o vinho deixava.

    Ai eu hei-de morrer na adega,
    Ai o tonel é o meu caixão.
    Ai hei-de levar de mortalha,
    Ai um copo cheio na mão.
    .
    Não é da minha autoria.

    Um abraço de Portugal

    ResponderExcluir
  3. Belíssima imagem,, este lugar maravilhoso parece ser um ótimo lugar pra se estar!
    Tenha um ótimo fim de semana!!

    ResponderExcluir
  4. Olá, Laerte!
    Estive em Camburiú faz exato um mês... Gostei muito...
    A condição de sonhador é um mistéiro, de fato...
    Seja feliz e abençoado!
    Abraço fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  5. Mt bonitos eu tb adoro praia deve ser uma ilga linda bjs

    ResponderExcluir
  6. Poemas, Vinho, Praia e Raquel de Queiroz... como não se encantar? Tudo converge para isso!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. .... A Ilha foi ocupada em 1637, quando Francisco Dias Velho lá se estabeleceu com sua família e seus escravos, dando inicio a futura povoação Nossa Senhora do Desterro (atualmente Florianópolis). Em 1642 foi construída a primeira capela do estado, em um local denominado São Francisco, que passaria a vila em 1660 (aproximadamente). A fundação de Laguna, em 1684, ocorreu após a pacificação dos índios habitantes da região. Em 1739 Santa Catarina passa a ser, oficialmenteSanta Catarina passa a ser, oficialmente, o posto português mais avançado na América do Sul.
    Em 1777 os espanhóis invadem a Ilha com sucesso, e expulsam tropas e autoridades para o continente. A Ilha foi devolvida a Portugal após o tratado de Santo Idelfonso, nesse mesmo ano...
    Laerte não resisti a ir procurar a historia dessa ilha magnifica, e acho uma pena que por aqui não se ensine o que se passou nessas paisagens lindíssimas, porque se ama o que se conhece !
    abraço, bom fim de semana
    Angela

    ResponderExcluir
  8. Olá, querido amigo Silo!

    Compreendo, perfeitamente, o amor pela sua ilha, aquela onde nasceu, presumo, mas eu seria incapaz de viver numa ilha. Ah, me sinto rodeada de água por todos os lados, não dá pra mim e qdo queremos nos deslocar tem k se usar o avião.
    Beleza, liberdade, à-vontade e boas praias é tudo aquilo, que qualquer mortal deseja, mas enfim, eu sou diferente.

    Qto aos poemas, os achei deliciosos e bem humorados. De facto, quando bebemos (eu nunca ingeri qualquer bebida alcoólica, em toda a minha vida), mas sei que, em geral, as pessoas ficam mais alegres e até verdadeiras, pke dizem exatamente aquilo que pensam. Sei k há quem beba e fique de mau humor, mas são exceções.

    À escritora Rachel de Queiroz, a minha vénia e agradecimento.

    A grande fadista Amália Rodrigues tem um fado chamado "Senhor Vinho", que se integra mto bem em teu post.

    Beijos e bom feriadão.

    ResponderExcluir
  9. Fiquei encantada- Boa tarde

    Bjos
    Fim de semana feliz.
    Hoje, no nosso blogue, um pequeno texto sobre gratidão.
    https://brincandocomaspalavrass.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  10. Maravilhoso brinde à beleza da imagem e das palavras!!!bj

    ResponderExcluir
  11. Encantadíssima com essa partilha, contendo imagem maravilhosa de uma praia deserta, bela e que sugere paz e harmonia com a natureza. As poesias acaricia a alma pela plenitude de sentimento e beleza.
    Beijos e um fim de semana bem feliz!

    ResponderExcluir
  12. Falou da ilha como quem descreve uma mulher,a mulher amada, a namorada, ou a que se quer, mesmo platonicamente. Parabéns!

    ResponderExcluir
  13. As fotos deixam vontade de conhecer in loco.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderExcluir
  14. Olá Laerte!
    Viver numa ilha é mesmo um presente divino, desfrutar da natureza nada melhor pode existir, o teu vinho com certeza te fará falta, mas o calor pede é a loura gelada. Belos sonetos! Que bom homenagear uma escritora brasileira e nordestina, afaga-me o coração.
    Praia linda...paradisíaca!
    Tenha uma excelente semana.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  15. Brindo com o vinho dos seus poemas à escritora Rachel de Queiroz.
    Imagino como deve ser belo viver numa ilha...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  16. Bonito post. Uma ilha digna de homenagens, também a Rachel de Queiroz, grande escritora!
    Muita paz e um abraço...

    ResponderExcluir
  17. Que beleza, linda homenagem para a nossa grandíssima escritora histórica! Que lugar lindo lindo de se morar :). Um abraço!

    ResponderExcluir
  18. Nessa ilha a poesia anda à solta! Que vidão, Laerte! Ergo a taça e saúdo-te a ti e a Rachel de Queiroz.

    IN VINO VERITAS!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  19. https://poemasdaminhalma.blogspot.pt
    Olá caro amigo Silo, estou de regresso à minha página. Antes de mais peço desculpa pela ausência, mas há momentos em que o coração diz que temos que parar!
    Mas que maravilhoso viver numa ilha!! Caso fosse eu, daria o nome..."Ilha dos sentimentos".
    Mas passando adiante, gostei da sua boa disposição, do seu maravilhoso poema, da descrição da ilha, da família, do vinho e da liberdade. Assim sendo, invocou Cristo, Tibério e a deliciosa Taça de vinho,que em transformação na santa missa...se torna em verdadeiro Sangue de Cristo Jesus!!
    Adorei essa forma linda de homenagem à ilha a Cristo e ao famoso vinho, quanto ao escritor não comento, por desconhecimento.
    Um abraço, e volte sempre!!
    Luisa Fernandes


    ResponderExcluir
  20. Que inveja. Também gostava de morar numa ilha assim. Parabéns pelo texto, a boa disposição, os poemas...tudo!

    Isabel Gomes

    ResponderExcluir
  21. Além de ser o Poeta mestre dos sonetos, é também, um
    sortudo em morar numa ilha encantadora desta.
    Muito fácil ser inspirado assim, morando nesta ilha,
    né Poeta?!...rss
    Sempre maravilhosa a leitura aqui!!
    Votos de dias felizes, caro Laerte.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  22. Olá, meu amigo!

    Tudo bem por aí? Aqui, dias cinzentos e ficando noite ás 16h.

    O encontrei mesmo agora no Andrade e sua Arte e decidi vir até cá, pois tenho sentido o seu blog um pouco parado em termos de deixar comentários nos amigos. Algum problema? Provavelmente, anda visitando primeiro quem ainda não comentou seu post, e depois virá até nós. SOYEZ BIEN-VENU!

    Beijos e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  23. Tudo tem uma explicação, né, Sr. Engenheiro (rs)?

    Boa sorte, boa sorte, pessoal e profissionalmente.

    Bom domingo.

    ResponderExcluir
  24. Boa noite, Laerte

    Tenho ligações muito fortes a uma ilha ou a mais que uma. O mar e as praias são algumas das minhas paixões. Reconheço grandes propriedades ao vinho e existe alguma verdade na expressão "in vino veritas".

    Gostei muito dos seus poemas (I e II) sobre o tema que logo é ultrapassado quando reconhece que também o amor inebria. Também isso é uma grande verdade.

    Abraço

    Olinda

    ResponderExcluir
  25. Olá,
    Bela homenagem a Raquel de Queiroz.
    Belos poemas.
    Obrigada pelo carinho la no meu cantinho.
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Belos sonetos, a tão precioso Nectar.
    Muita vida, para continuar a apreciar o que é bom.
    Abraço

    ResponderExcluir
  27. belos sonetos,Laerte.:)
    não me importava nada de estar nessa praia. é linda.
    beijinhos e boa semana.
    :)
    Ana.

    ResponderExcluir
  28. Lindo demais mesmo esse lugar onde mora,amigo Laerte!

    Amei a poesia!

    Obrigada pelos comentários no meu espaço pelo meu aniversário ontem,26 de novembro.

    Carinhosas e amigas mensagens.

    Beijos sabor carinho e uma segunda-feira radiante

    Donetzka

    ResponderExcluir

  29. Ilha paradisíaca, deslumbrante
    Fez nascer em mim um sorriso
    Poder estar nela a todo instante
    Fazer dela, meu sublime, paraíso!

    Estas belezas da natureza
    Fazem cortar a respiração
    Sente-se no ar a grandeza
    Enchendo o nosso coração!

    Um abraço



    ResponderExcluir
  30. Vivere su un'isola e godere di tutte le sue bellezze è il mio sogno da tutta una vita carissimo, credo porterebbe tanta tranquillità nella mia anima. Un abbraccio grande, è sempre bello leggere le tue emozioni

    ResponderExcluir
  31. Que lindo amigo!
    O vinho em poesia de rara beleza em sonetos bem inspirados que transbordaram a taça neste encanto pelo sabor e historia do liquido precioso.
    Aplausos amigos.
    Bela lembrança da imortal que também reverencio.
    Meu terno abraço e muita paz.
    E neste calor de verão de nordeste vamos de geladinha mesmo.

    ResponderExcluir
  32. Caro Laerte, vim apenas dar um "apoio virtual", para que consiga o seus intentos na Academia Catarinense de Letras.

    ResponderExcluir
  33. Dois magníficos brindes em forma de soneto à escritora Raquel Queiroz, que conheço muito mal. Mas vou já conhecer melhor...
    Bom fim de semana, caro Laerte.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  34. Dois soberbos Sonetos que Homenageiam o Vinho e o Autor.
    Parabéns, Laerte, pela discorrência tão genial.


    Abraço
    SOL

    ResponderExcluir
  35. Olá querido Laerte,perdão pela demora em vir tomar este vinho com você, obrigado pelo convite, realmente lindas palavras que me deixa encantada, o vinho é mesmo sedutor adoça o paladar, brinda os melhores momento e com ele comemoramos, em fim faz parte da nossa vida, mas devo te dizer que para completar, esta praia é maravilhosa que dá vontade de caminhar em um dia ensolarado e refrescar ao vento sem pressa. Tudo que você escreve é um passeio agradável que me faz degustar em uma dose de vinho suave. Parabéns pelo talento é um prazer vir aqui, um forte abraço e sucesso.

    ResponderExcluir
  36. Toda bela poesia, tanto os sonetos quanto a prosa, como a imagem. Há que viver a sua bela poesia!

    Boa semana!

    Bjos

    ResponderExcluir
  37. Também brindo à bela ilha e à talentosa escritora,
    porém, é preciso muito cuidado com o vinho...
    Acho muito feio quando se começam a contar as verdades.
    Contudo, os teus sonetos estão espirituosamente belos...
    Grande abraço, talentoso poeta.
    ~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  38. Também brindo à bela ilha e à talentosa escritora,
    porém, é preciso muito cuidado com o vinho...
    Acho muito feio quando se começam a contar as verdades.
    Contudo, os teus sonetos estão espirituosamente belos...
    Grande abraço, talentoso poeta.
    ~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir