Linguagem[+]

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

30/11 - Morre Fernando Pessoa

     O episódio da Chapecoense foi tão dolorido que chorei na primeira resposta ao Toninho no comentário postado e quis poupar meu coraçãozinho antigo. Não mais dei respostas aos amigos que ali se manifestaram. Para elevar o astral, posto hoje uma frase de Fernando Pessoa, e um pequeno soneto meu, para ludibriar o luto que continua badalando em todos os canais de tvs com programações de levar ao pranto. Quero aqui deixar o meu carinho, amor e reconhecimento ao povo Colombiano pela magnanimidade de seu coração. Quero agradecer a Colômbia como Nação e Pátria pela grandeza de suas instituições e generosidade de suas autoridades - minha gratidão eterna! 

    Quero, ainda homenagear, esse Monstro sagrado da poesia portuguesa, o poeta Fernando Pessoa que dispensa comentários de qualificação e atributos extraordinários seus - o "papa"...   


“No meu tempo de criança ninguém havia morrido” – Fernando Pessoa (autor da frase). Autor do soneto a seguir: Laerte Tavares.

            

 

No meu tempo de criança

Ninguém havia morrido”

E eu nem botava sentido.
Tudo me era esperança.

Agora que o tempo avança
E com a lembrança que eu lido,
Eu vejo já ter partido
Todos da minha lembrança.

Estou sozinho no mundo,
Sem pais, irmãos e no fundo
Sei que sou sobrevivente.

Mesmo que falte um segundo
De vida, ainda eu me inundo
De amor, que eterniza a gente.

65 comentários:

  1. Fiquei quase em choque com o acidente que vitimou a equipa do Chapecoense. Que Deus dê força aos seus familiares, para suportarem tão grande dor.
    O Soneto é uma bonita homenagem a um poeta que eu( me perdoem os adeptos de Camões) considero o maior de sempre.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Concordo em "gênero, número e grau" em tudo, mas há um soneto do Camões que me dobra o espinhaço, alias, uma estrofe: "Se ainda do amor, domésticos venenos, / Nunca provastes, quero que saibais / Que é tanto mais o amor depois que amais, / Quanto são mais as causas de ser menos. // E não cuide ninguém" ..
    Mas também acho que para o meu governo, Fernando representa mais, embora o outro seja grande pela odisseia e a narração. Com relação à Chapecoense, a nós aqui é muito duro ligar a tv e ver a cada instante um novo velório (como se fosse), pois sempre há uma notícia nova e a repetição de homenagens. Muito obrigado Elvira. Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir
  3. Gostei do seu soneto vibrante e expressivo, Laerte,
    O amigo vive e celebra a poesia com grande intensidade!
    Mais uma vez, parabéns pelo talento.
    Abraço ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda Majo, você é maravilhosa e de coração tão grandioso quanto ao do povo colombiano com sua grande homenagem levada a efeito, que lotou um estádio e suas adjacências. Muito obrigado!
      Somos sobreviventes e enquanto durarmos, sejamos intensos em nossos atos de amor, piedade ou tolerância e caridade, mas aonde for o amor, irão todas as virtudes e permanecerão com ele. Portanto amemos com espontaneidade de amar com amor, amor e amor.
      Minha gratidão e cordial abraço. Laerte.

      Excluir
  4. Chapelada, Amigo Laerte.
    Num momento de profunda comoção sabe bem ler estes textos.
    Aquele abraço, bfds

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Pedro, agradeço sensibilizado sua reverência ao momento e pelo momento - minha gratidão reconhecida e reconfortante por sua atenção e gesto de apreço. Muito obrigado! Abraço cordial e fim de semana agradável também a você e aos seus. Laerte.

      Excluir
  5. Adorei o seu soneto Laerte. Lindas palavras num momento tão triste...
    http://asreceitasdamaegalinha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joana, fico feliz com seu comentário elogioso aos meus versos. Muito obrigado, Joana! Irei lá ao seu blog adoçar a boca pela imaginação ao ver tão maravilhosas receitas. Tenho origem de ancestrais portugueses e adoro a culinária de doces portugueses. Vem-me sempre a lembrança as irmãzinhas nos conventos a engomar roupas com as claras de ovos e fazendo as tradicionais iguarias com as gemas, com fio de ovos, quindins, papos de anjo e agora, o pastel de Belém degustado em Belém com uma bica forte.
      Muito obrigado e meu abraço fraterno. Laerte.

      Excluir
  6. Que bela e sentida homenagem em forma de soneto amigo Laerte.
    Fernando Pessoa é completo,a sua poesia abraça todos os sentimentos do mundo.

    Um beijinho solidário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou de meus versos, Fê. Fico alegre. Quanto Fernando, foi o poeta dos poetas de todas as línguas. Adoro Fernando muitíssimos de seus poemas eu sei de cor de tanto que reli por gostar demais. Minha gratidão. Abraço amigo. Laerte.

      Excluir
  7. Um excelente soneto, que até Fernando Pessoa acharia bom.
    A tragédia que se abateu sobre a equipa brasileira também tem sido um tema permanente na imprensa e na TV portuguesas.
    Bom fim de semana, caro amigo Laerte.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço seu elogio, amigo! Pode até ser que Fernando o achasse bom, pois segundo sei, ele era um místico introvertido, porém compartilhava ideias e poemas com amigos - há cartas que retratam isso. Se ele me recriminasse em rimar verbos com verbos, eu perderia as estribeiras com ele, dizendo: Mas Vossa Senhoria fez isso! senão vejamos - "Conta a lenda que dormia / uma princesa encantada / A quem só acordaria / Um infante que viria / Do outro lado da estrada. (...)...
      É amigo Jaime, a comoção foi mundial e se vê tanta magnanimidade de corações, que espanta - o povo português foi muito solidário. A maioria dos clubes prestou homenagem, e o garoto da perna de ouro - Cristiano Ronaldo mandou ao chapecoense três milhões de Euros...
      Minha gratidão, bfds (bom fim de semana), e meu grande abraço ao amigo e aos seus. Laerte.

      Excluir
  8. Um soneto muito bem conseguido e uma bonita homenagem.
    Que descansem em paz.
    um abraço solidário
    beijinho
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Expresso minha gratidão pela luz desse Sol maravilhoso que caustica a dor e medra a alegria, não só por Piedade aos necessitados mas por grandiosidade de seu coração. Muito obrigado, amiga! Abraço. Laerte.

      Excluir
  9. Olá amigo um lindo soneto e uma linda homenagem. Quando ouvi a noticia chorei. Não há palavras para uma tragédia assim. Boa semana e beijos com carinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rosa-branca de paz, que a paz esteja com a gente em todos os momentos de dor! Grato pelo carinho manifesto! Grande abraço. Laerte.

      Excluir
  10. Olá Silo,
    A dor foi imensa, principalmente quem tem filhos na idade deles. Chorei muito e fiquei com raiva da barca do avião sem combustível. Agora pergunto: não acontece nada jurídico, isso para mim não foi um acidente e sim um assassinato em massa.
    O Sul está precisando de orações: lembra da tragédia na boate de Santa Maria? Outro assassinato. Só que no Brasil nada acontece.
    Adorei ia poesia que escolheu de Fernando Pessoa
    Que Deus o abençoe
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado lua singular. O universo não tem planos aos mortais, eu creio. Nada conspira. O homem faz o seu próprio destino com a liberdade e o livre arbítrio que Deus o dotou. A quem coube a responsabilidade, partiu junto e deverá ser medido com o metro da justiça divina. Minha gratidão. Abraço fraterno. Laerte.

      Excluir
  11. Pois é amigo, Pessoa é papa e você conversa com ele.
    Lindo soneto, que a gente sente, que sai naturalmente de sua lavoura.
    Um belo trabalho uma inspiração fantástica.
    A gente aprende aqui. Agradeço sempre ao grande Pedro Luso que me guiou até aqui.
    Um abração e bom domingo de uma nova semana, que seja de menos dores e mais amores. E também sem arte do povo do planalto central.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Toninho, agradeço muito as palavras de afeto e elogios! Pedro Luso é um amigo fraternal de juventude e é tão grande quanto você, meu amigo. Você é figura impar também. Minha gratidão e meu abraço. Laerte.

      Excluir
  12. Um belo poema meu amigo neste tempo de dor e sofrimento devido à tragédia aérea ocorrida e que deixou todo o mundo de luto.
    Um abraço e bom Domingo.
    Andarilhar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Francisco, mais um grande coração português consternado com a tragédia - minha gratidão. Obrigado por elogio ao poema que vindo de um grande conhecedor do riscado a um iniciante no ramo, alegra a alma do versejador. Muito obrigado Francisco! Grande abraço. Laerte.

      Excluir
  13. A minha tristeza por esse desastre que marcou todo o Mundo. Permita-me agradecer ter-se lembrado de um dos maiores poetas do Mundo, português, escolhendo um dos seus poemas como homenagem a essas vítimas. Grato pela visita e pelo que coloca em sua página. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado amigo pela mensagem e dizer que concordo com você quanto a grandiosidade de Fernando. Grande abraço. Laerte.

      Excluir
  14. Olá, querido Laerte!

    Já tinha passado por cá, mas acredite que depois da leitura de seu post, fiquei ainda mais sensibilizada e palavras não tinha pra comentar seu escrito, sua homenagem, seus sentires.

    Foi uma tragédia, que enlutou o mundo, em geral, mas vocês, aí vizinhos, sentiram mais de perto o tenebroso acontecimento. Compreendo seu coraçãozinho apertadinho e seu baixo astral, mas a vida tem de continuar, querido amigo.

    E continuou mto bem com uma frase de nosso Pessoa, e dela você fez um soneto maravilhoso e delicado, estabelecendo nele como k um paralelo entre a infância e a vida adulta. De facto, nós, qdo meninos, desconhecemos a morte, e ainda bem, e vemos todo o mundo com olhos doces e "ninguém" morre pra gente.

    Na fase adulta, ah, como dói! Passamos a ter, consciência dela, infelizmente, e nosso mundo de sonhos, desaba, tantas vezes!
    Que nos valha o AMOR, que dá sentido e luz às nossas vidas.

    Beijinho, "minino"!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Céu, meu amor! Ou meu amor do Céu, você é maravilhosa! Como sabe transmitir o que tem curso em seu coração... Eis a poetisa - a alma do poeta, que já se nasce com ela - não se aprende na escola a ser poeta. A tornar-se um engenheiro construtor de versos como eu, se aprende mesmo que não se tenha dom ou tino, mas expressar sentimentos que sensibilizem outrem, é dom divino, meu anjo! Você é a poetisa angelical que não caiu do céu; está nele junto às demais estrelas portuguesas que aí existem e que muitas delas, só as enxergo em letras de fado. Portugal teve e tem muitos bons poetas e você, creia-me está na relação. Parabéns! Minha gratidão enorme por suas palavras sábias e poéticas e o penhor de minha admiração por seu dom e talento. Abraço afetuoso. Laerte.

      Excluir
  15. Foi uma tragédia horrível que aconteceu com o Chapecoense.
    O seu soneto em diálogo com Fernando Pessoa, é excelente e muito sentido. Gostei.
    Uma boa semana.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça Pires, muito obrigado pelas palavras de lamento à tragédia que todos sentimos com reflexo em todo o mundo, mas os portugueses foram os que mais se manifestaram seus sentimentos afora o país onde o acidente ocorreu. O povo colombiano foi grandioso. E todas essas expressões de pesar aplacou os corações dos mais próximos aos mais distantes. Grato também por ter gostado da emenda que fiz a frase de Fernando Pessoa, cujo mérito da mensagem é dele - "no meu tempo de criança ninguém havia morrido." Realmente depois que a gente nota que morreu um aqui, outro lá... Meu abraço fraterno. Laerte.

      Excluir
  16. Um desastre terrível que entristeceu todo mundo.
    Venho agradecer a sua visita ao meu cantinho e as lindas palavras que lá deixou.
    Adorei a forma como escreve, meus sinceros parabéns.
    Irei começar a divagar por aqui.
    Um grande abraço
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda Maria!... O seu espaço é que é maravilhoso. De tantos blogs que tenho percorrido, em termos de beleza, elejo o seu - a cana-da-índia como enfeite secundário e outras beldades mais marcantes que há nele além da qualidade extraordinária das fotos, concorrem à beleza. Parabéns, Maria! Como diriam os místicos: Que Deus te proteja e guarde dos maus-olhados! Aqui em minha ilha, havia senhoras benzedeiras que benziam de mau-olhado. Mas a tradição se perdeu no tempo. Foi um prazer estar lá, Maria. Voltarei mais vezes, se Deus quiser. Meu abraço fraterno e minha gratidão. Laerte (Silo).

      Excluir
  17. Amigo, "Silo Lírico", boa noite !
    Por favor, inclua na tua dor, a minha dor.
    Nos aplausos, a este belo texto, a minha
    emoção...
    Parabéns e um fraternal abraço.
    Sinval.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, amigo! Estamos juntos! Grato pelo elogio ao texto. E retribuo o abraço, Irmão Sinval. Tudo de bom. Laerte.

      Excluir
  18. Laerte, o teu soneto, sem título (salvo engano), começa depois que citas o mestre, o poeta mais importante da língua portuguesa, Fernando Pessoa. Mas depois segues sozinho, desenvolvendo teu soneto, sem sair do leito desse rio de versos, também uma homenagem ao poeta português. O teu soneto tem o talhe do marceneiro, que da árvore bruta, abatida, faz uma mesa, tu reúnes tantas letras, transforma-as em palavras e com elas crias a poesia.
    Parabéns pelo belo soneto e pelas justas homenagens.
    Grande abraço, amigão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu irmão do coração, muito obrigado! Sim e creio que a frase que ele disse não foi bem a que cito, pois ele se referia ao seu aniversário festejado na infância. Ele diz mais ou menos assim: "No tempo em que festejavam os meus anos, ainda não havia morrido ninguém... vinham todas as tias velhas... " Realmente Pedro, não sei se Camões foi melhor que ele. Cada um ao seu tempo e com sua mensagem, mas Fernando foi príncipe, foi papa, foi rei na poesia - ele era do ramo. Nasceu poeta. Eu faço versos, como a maioria faz, apenas versos. Muito obrigado Pedro. Tudo de bom. Laerte.

      Excluir
  19. Oi, Laerte, postagem sofrida, hein amigo? Bate direto no coração, arde a garganta.Foi muito sofrimento, penso que o Brasil inteiro chorou unido. O mundo sentiu.
    Quanto à Colômbia, nunca vi tamanha solidariedade, amor, carinho e desprendimento! Além de passarem o título ao bravo clube de Chapecó, recusaram os 6 milhões de prêmio, que passaram ao clube catarinense. Amigo Laerte, algum outro time faria isso? O povo Colombiano é maravilhoso, e eu não sabia disso. Jamais vi tantas almas em luto. Isso ninguém esquecerá. Meu time passou a ser o Chapacoense e também o de Medellin, não pelo esporte em si, mas pela bravura de um e pelo amor e solidariedade do outro.
    Bela tua postagem, é para não esquecer.
    Abraços, amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tais, concordo absolutamente em tudo contigo e tomei o mesmo rumo . Não sou chegado ao futebol mas torcerei por ambos. Obrigado pelo elogio à postagem. Grande abraço. Laerte.

      Excluir
  20. Bela homenagem.
    Uma tragédia que mexe com o mundo.
    Incompreensivel como isso pode acontecer!
    O meu abraço.

    #forçachape

    ResponderExcluir
  21. Oi Rui, muito obrigado! Gostei do mote #forçachape vir de Portugal. É a primeira vez que recebo esta frase e por vir de um amigo português, potencializa minha sensibilidade. Minha gratidão! A tragédia comoveu realmente todo o mundo, mas as homenagens e e expressões de solidariedade do país amigo, Portugal, foram bastante. Até em recurso financeiro de quem tem e não há de fazer falta - Cristiano Ronaldo encaminhou três milhões de Euros ao clube chapecoense. Tudo de bom! Parabéns pela beleza de seu blog também - as cerâmicas... Abraço cordial. Laerte.

    ResponderExcluir
  22. O " amor eterniza a gente" e aqui quero deixar uma frase do protagonista de um dos livros de Augusto Cury ..." a pessoa não morre...fica eterna no significado que a sua vida teve na vida de quel com ela conviveu", por isso há que tentar dar significado aos nossos dias para os que amamos se recordem de nós. Quando fui para o Brasil fiquei impressionado com o valor que o povo brasileiro dava ao nosso Fernando Pessoa; tinha 24 anos e até aí nao me tinha apercebido do grande valor dele; creio que um dos motivos seria o facto de, como estudante de letras ter sido obrigada a ler e interpretar este e outros poetas a fundo e, isso, creio, fazia-me " tentar esquecer" O mesmo aconteceu com Camões; os Lusíadas tiveram que ser tão profundamente interpretado, parágrafo a paragrafo, com divisão de orações, etc, etc, que hoje ainda me sufoca hoje em dia ele é estudado de uma maneira mais leve e acho muito bem, pois os alunos gostam do livro, coisa que, na maioria dos casos, não acontece com as pessoas da minha idade. Quanto ao scidente, não há palavras para descrever tamanha dor ainda mais sabemdo-se que foi por causa de um grande erro, aliás, sempre há um erro por trás dos acidentes. O povo da Colombia foi fantástico e aqui, novamente vou dar um exemplo; no livro " a menina que roibava livros" a narradora era a morte e a um dado momento ela diz, mais ou menos isto " o hmem surpreende - me..ao mesmo tempo que é capaz de tamanhas atrocidades, é capaz de grandiosas maravilhas". E não é isso mesmo, amigo? Como sabe ser solidário o ser humano, quando quer! Não só agora neste caso, mas o HOMEM é de um coração enorme e, apesar de nos quererem fazer crer o contrário, há mais humanidade do que maldade neste nosso mundo. Laerte o teu poema complementa bem o do nossa grande poeta e agradeço muito a partilha. Parabéns, amigo e aconselho-te a visitares o Começar de Novo onde dois grandes da lingua portuguesa te vão encantar. Um beijinho e desejo-te paz, saúde e alegria
    Emilia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo...na vida de quem com ela conviveu
      para que os...
      Tiveram que ser interpretados..
      acidente...sabendo..roubava...
      Descupa!! E sou eu de letras!!!???
      Emilia

      Excluir
    2. Legal, Emília, o teu texto é maravilhoso! Minha gratidão! A vida é assim como que se a cada dia se perdesse um membro. A cada dia há o envelhecimento do homem e da espécie. Hora à hora temos o enfraquecimento de um músculo, a flacidez e uma pele, o estiramento de uma fibra nervosa... E nessa intercorrência, que pelo menos nossas almas estejam a fazer musculação para ganhar robustez e sermos mais fortes. Por isso que a vida é uma longa lição de humanidade. Nunca sabemos tudo. A generosidade do coração humano é adimensional, por que nele está o amor e sendo Deus amor... Eis o teu coração grandioso que teve a pachorra de perder algum tempo e ditar-te à mente essa maravilhosa mensagem de partilha. Eu não sou muito crente ou carola, mas crendo em Deus, evoco uma frase da aparição da Virgem em terras portuguesas: "...mas no final minha alma gloriosa triunfará." Que nossas almas sejam vencedoras, Emília! Grande abraço. Laerte.

      Excluir
  23. Vim à procura de novidades.
    Mas gostei de saber que o Ronaldo doou 3 M€ ao Chapecoense, porque não tinha ouvido nada acerca disso. Mas se eu tivesse o dinheiro dele, também faria a minha generosa doação. Talvez mais às famílias que necessitassem que ao clube, porque alguns jogadores deveriam ser a principal fonte de rendimentos das famílias respectivas.
    Bom fim de semana, caro amigo Laerte.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso ai, mestre Jaime! Nós, como pais de família com netos, olhamos nessa direção citada, mas o garotão encara o seu hobby apenas que o ganhar dinheiro nele é um acaso. Mas com as fichas ganhas que tem, se o alertarem, seria capaz de mandar mais três mil às famílias? Pode ser perdulário, mas tanso não. Não creio. Grande abraço. Laerte.

      Excluir
  24. Aquela do avião foi feia. Muito feia. Criminosa. E não digo mais.
    Um poema cheio de ritmo e consistência donde se retira a toda a força do pulmão: SOU GENTE!
    Cá vim mais uma vez ver as novidades e agradecer sua presença na minha janela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh mestre, eu é que me sinto honrado por tão importante visita a este espaço de pessoa tão importante que creio muito ter de semelhança com Fernando além da nacionalidade e língua, mas de refinamento poético em suas composições. Já estive lá em seu blog e deixei meus versos num arremedo grosseiro de poesia, dada a forma. Seu elogio incentivador me comove e anima, mas me faz ficar vermelho também pela vergonha de não ter vergonha para postar tais versos. De qualquer forma fico grato e peço que volte sempre para servir de muletas ao meu esforço, o seu valioso elogio. Minha profunda gratidão e meu cordial abraço. Laerte.

      Excluir
  25. A solidariedade e a poesia com alma são a sua voz.
    Grata por me incluir.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  26. Obrigado, Teresa, pela visita também. Seu blog me é muito importante. É do que gosto que ele fala. Hoje tive oportunidade de comprar as primeiras castanhas portuguesas que chega aqui para as festividades de Natal, o que é de praxe. E na hora em que as vi lembrei de sua portagem com as castanhas próximas às brasas. Hei de fazê-las ao forno e ao calor dos ares de verão já próximo, lembrando do seu licor sugerido da adega. O licor será um vinho. Grande abraço, Teresa! Voltarei ao seu espaço e volte a este. Minha gratidão. Laerte.

    ResponderExcluir
  27. Grato pela presença amiga lá no meu Relógio.

    e pelos seus versos nada "aleijados" - pelo contrário, revelando grande talento.

    e grato também por se dar a conhecer: espero que o início de uma boa amizade.

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado amigo Manoel. Tenho por índole atávica gostar do meu povo antigo, o português do qual vim. Meu paladar e meu gosto por tudo que vejo bom vem também da minha estirpe e sou grato quando tenho mais um amigo português. Crente que você o seja, devoto meu novo voto à amizade do amigo. Minha gratidão e meu abraço fraterno. Laerte (Silo).

      Excluir
  28. O Siro,
    A sua gratidão me emocionou.
    Adoro Fernando pessoa, eu já perdi tanto pela morte que acho quem perdeu fui eu com essas dores que não acaba- é cirurgia e demora.
    Quanto a minha postagem, você não iria pra cama tão cedo pois tinha que dar conta de todas as galinhas e ainda espantar os galos. Os ovos e os frangos já estavam vendidos.
    Desculpe a verdade, eu escrevendo, o barulho nas ruas por causa do Palmeiras e ele ainda ri de mim.
    Venha sempre
    Beijos
    Se não gostar, mando Abraços
    Minicontista2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dorli, obrigado! Você é um amor - sabe falar das coisas sérias e das gozações corriqueiras. Realmente, com a idade que tenho, estou fora de fazer o papel de galo, estou mais para gambá manhoso, tomando o meu vinhozinho e me fingindo de morto... Beijos e meu abraço fraterno. Laerte.

      Excluir
  29. Bem bonito! E agora veja a sorte dos sem-abrigo, pelo Natal - https://vieiracalado-poesia.blogspot.pt/2016/12/natal-dos-sem-abrigo.html Saudações natalícias!.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fui lá, meu amigo: lindo seu poema. Mas ontem ao sair de um evento, à noite presenciei algo tenebroso - uma multidão de sem tetos que vivem na droga correndo à hora do sopão quando os levaram o panelão. É triste. Será que o planeta está lotado ou a humanidade adoeceu?... Grande abraço. Laerte.

      Excluir
  30. Laerte passei para deixar um abraço.
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, linda Maria, a musa da poesia!... Aqui no Brasil se diria que o teu nome dá samba. E é realmente. O seu espaço é tão belo que dá poesia sempre que se passa lá para colher poesia. E fico feliz com o teu passeio pelo meu espaço - até parece que esse seu rosto pensativo e expressivo dá beleza ao meu humilde espaço. Volte sempre que sempre estarei passeando por lá. Grande abraço. Laerte.

      Excluir
  31. Uma bela postagem.
    Agradecendo seus comentários
    em forma de poesia, sempre lindos.
    Grata pelo carinho. Um Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nádia, muito obrigado! Voltarei lá outras vezes. Abraço cordial. Laerte.

      Excluir
  32. Perante a consternação geral, Fernando Pessoa foi bem lembrado. Ao fim e ao cabo, para lá da morte física, ele continua bem vivo, tal como irá acontecer, a outro nível, com a equipa da Chapecoense.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, AC! Fernando Pessoa é eterno como as estrelas no céu. Ele foi maravilhoso! Veja que eu ao pegar carona com ele para compor os meus versos simples, suas palavras deixaram grandes os meus pequenos versos. Muito obrigado AC. Gostei de seu espaço e voltarei lá.

      Excluir
  33. Agradeço a sua visita ao meu pequeno espaço, Laerte.

    Depois da tragédia que assolou o Brasil e consternou o mundo, há que dar tempo para fazer o luto.
    Bonita a homenagem que presta ao grande Poeta Pessoa. Também o Laerte é um Poeta de gema.

    Só um aparte, para lhe dizer que a minha nora Cinthia é natural de Florianópolis. Curioso, não é? O mundo é mesmo uma casca de noz.

    Um abraço e até breve.

    Janita

    ResponderExcluir
  34. Oi Janita, agradeço suas palavras elogiosas a mim pelos versos simples. Veja que tomei carona com Fernando e os meus versos ganharam tamanho. Seu espaço é maravilhoso e voltarei lá muitas vezes. Que curioso sua nora ser de cá de nossa "Ilha de Idílios" - título de livro meu contando a história da Ilha em poemas narrativos em versos do Cancioneiro Português. Você e ela em que cidades moram? E o casal vem de vez em quando visitar a terrinha brasileira ou não? Fiquei curioso... Abraços fraternais à você e ao casal com votos de Feliz Natal. Tudo de bom! Laerte.

    ResponderExcluir
  35. Uma tragédia que doeu em muitos corações, até mesmo de quem não curtia futebol, até hoje qdo vejo os sobreviventes dando entrevistas assar pofico emocionada.
    Gostei de passar por aqui, ao ler comentários tomei conhecimento da doação do Ronaldo, um belo gesto.

    Boa noite Silo, parabéns pelo trabalho!
    PS: Vou seguir seu rico blog.
    Diná

    ResponderExcluir
  36. Maravilhoso poder interagir positivamente nesse maravilhoso universo poético.
    Compartilhar levezas..
    Grata pela visita ao Drink Poesia.

    Abraço, Silo.
    L.L.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lisa Leal, muito obrigado pela visita e as lindas palavras de elogio. Grande abraço. Laerte.

      Excluir