Linguagem[+]

terça-feira, 14 de junho de 2016

FERNANDO PESSOA


     Ontem dia treze de junho, consagrado a Santo Antônio, também era o dia de aniversário do grande poeta português Fernando António Nogueira Pessoa. Não dá para dizer que foi um poeta português e sim um poeta universal nascido em Portugal. Todos os grandes homens, de certa maneira, não têm nacionalidade póstuma para se tornarem do universo. Dizem os estudiosos que a libido é a energia motriz do instinto de vida de toda a conduta ativa e criadora do homem. Eu creio que essa energia se manifesta sob todos os aspectos e distribuída a todos os afazeres do cotidiano do homem, porém para o animal humano normal, ela se manifesta primordialmente para o universo sexual da criatura. Isso posto, vê-se pessoas expoentes em qual quer ramo da atividade humana serem desprovidas de sexualidade ou sublimam essa libido à matéria que dominam. Fernando Pessoa foi um místico. Sua poesia é atemporal ou eterna pelo conteúdo sublime. E como místico previu a sua morte, sendo o último verso que escreveu, este: "Não sei o que o amanhã trará". Porém o tal verso ele o escreveu em inglês: "Know not what tomorrow will bring." Isto porque Fernando Pessoa alfabetizou-se em língua oficial da África do Sul, país para onde se mudou em tenra idade, quando sua mãe viúva e casada em segunda nupciais com oficial da marinha, teve que residir naquela nação de língua inglesa. 
     Segue aqui minha humilde homenagem ao grande poeta e que ele me perdoe pela insipiência dos meus versos.

FERNANDO PESSOA 

“Não sei o que o amanhã trará”
Foi o que escreveu Fernando
Justa e exatamente quando
A morte estava acolá,

Por trás do amanhã que já
Tinha por glória um bando
De anjos o esperando,
Que só aos eleitos há.

Morreu angelicalmente
Com o tal amanhã na mente,
Sereno, mas duvidando

Do quê que há lá na frente.
E o amanhã trouxe um ente
Eterno que é Fernando.




Nenhum comentário:

Postar um comentário