Linguagem[+]

terça-feira, 5 de setembro de 2017

SEÇÃO IV DA SESSÃO: O SILÊNCIO DO SOM DE CEM SONETOS


Como da postagem anterior homenageei o Soldado Brasileiro, nesta devo homenagear um fraterno amigo que ressuscitou ontem ainda, depois de notícias no Brasil e nos Estados Unidos constando sua morte.
Trata-se do meu amigo  Rodrigo Antônio de Haro, brasileiro de nacionalidade francesa ou francês de nacionalidade brasileira – sei que os pais brasileiros tiveram o filho na França no tempo da guerra e lá o batizaram, fugindo para Portugal à época de Salazar e de lá para o Brasil em navio que à volta, os alemães o torpedearam – a vida do nosso protagonista já começa como um romance, mas não precisa dar um fim antecipado...
Rodrigo é um artista multifacetado com comprovação ou certificado de excelência em artes plástica como pintor com exposição nas maiores capitais do mundo e como muralista comparado ao espanhol Antoni Gaudi, de nossa Capital. É poeta também, titular de uma cadeira da Academia Catarinense de Letras, com mais de vinte livros editados.
Ontem, depois de reunião com a família e o plantonista da Unidade de Terapia Intensiva Coronariana que sugeriu tirá-lo da Unidade para uma morte mais digna junto aos seus, no apartamento do hospital, Rodrigo abriu os olhos e reconheceu um irmão. Sim, foi levado ao apartamento onde pediu sopa de feijão e gelatina, comeu, pediu repetição, mas não foi atendido. Hoje manifestou desejo de falar comigo e fui visitá-lo; e sabem o que ele me solicitou? Pediu-me para que o recitasse uma décima do cancioneiro português e contasse uma das histórias das promessas ao São Gonçalo de Amarante (casamenteiro das velhas) que há anos expliquei a ele sobre essa tradição açoriana em nossa região litorânea ao santo dos cachaceiros, cujas promessas são pagas ao som da viola em versos de improviso onde sobre o altar se colocava o santo e uma garrafa de cachaça com um copo, e a medida que os pares dançavam de mãos dadas, em sapateados, revezando-se na fila - o primeiro ia para o fim depois do casal se ajoelhar à frente do santo, e o homem do par, tomar um gole de aguardente após depositar umas moedas num prato à espera. Cantei alguns versos desse gênero a Rodrigo, que só não riu, mas tenho certeza que se alegrou bastante. Depois pediu que eu voltasse sempre, e que pedisse ir visitá-lo os amigos comuns, pois a conversa agrada-lhe e o distrai bastante - foi o que me disse. Estamos em corrente de orações por sua melhora. Junte-te aos bons que serás um deles!
Rodrigo - foto da web

Vamos ao soneto da seção e da sessão:
O AMOR 

Fenece a formosura de uma flor.
O tempo cala como sempre; e vai
Sob os desígnios que lhe deu o Pai.
Assim é a vida! - Na alegria e dor.

A beleza vital de uma donzela
É passageira – foi e será assim.
Teve começo, o ciclo terá fim
Na complexidade tão singela.

 Um só fator eterno existe apenas
Ao ser, maior que as coisas terrenas,
Que é o amor à outra criatura;

 Talvez porque no amor inconsciente
O ente humano projeta uma semente
Para ter filhos, além do que ele dura.

43 comentários:

  1. E viva a vida e o viver, que só finda na hora de infindar o ser. Cada um tem a sua hora, a medicina, até pode dizer, agora! Mas, Deus pode adiar.

    Quanto ao soneto... Dispensa comentários.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Puxa, que beleza! Ninguém pode decretar a morte do outro.. Até os médicos erram. Que bom que o foste ver e fizeste sua vontade! abraços,chica

    ResponderExcluir
  3. Caro Laerte

    Muito obrigada por trazer ao meu conhecimento Antônio Rodrigo de Haro e, graças a Deus, vivo e demonstrando o seu interesse por esse mundo das letras que tanto atrai os espíritos sensíveis.

    No soneto o poeta mostra-nos como é finita a beleza, que tudo obedece a um ciclo e diria, até o amor, salvo se dele nascer a semente que há-de recomeçar tudo.

    E assim acontecerá com todos nós.

    Abraço

    Olinda

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia António Rodrigo de Haro. Espero e desejo que se recupere. Gostei do poema.
    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Olá laerte, poxa, conheci ele através do seu blog e espero que recupere logo!
    Amei o soneto, maravilhoso e só diz verdades.
    Parabéns pelo post tão verdadeiro e cheio de sentimento...
    Bjs Larissa

    ResponderExcluir
  6. Bonita homenagem, Laerte.
    Aquele abraço

    ResponderExcluir
  7. Que linda homenagem, Laerte, sei o quanto vocês são amigos e o quanto tu gostas dele, um grande artista e poeta. Que dê a volta por cima e continue a bela caminhada. Colocando no Youtube aparecem os trabalhos dele, os murais, e ele na calma falando de seu trabalho.
    Grande abraço, Laerte!
    Obrigada pelo carinho do teu comentário! valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas fotos que você tirou no hospital mostra a força da arte, o quanto ela está presente e atuando na alma dos artistas. E o tanto que está sendo positivo para sua recuperação. Vai ficar na história de Rodrigo de Haro.
      Abraços, Ótimo esse seu 'trabalho' de fotografar esse momento, hein, Laerte?
      Abraço!

      Excluir
  8. Melhoras ao Sr Antônio Rodrigo, que Deus venha a reestabelecer sua saúde, e parabéns pela sincera homenagem, um forte abraço meu amado Silo!

    ResponderExcluir
  9. Estimado Laerte, apreciei com agrado esta apresentação de Rodrigo de Haro... deve ser uma pessoa fascinante e simples, como só os grandes sabem ser... Desejo-lhe muito o restabelecimento da sua saúde.
    Notável também é a dedicação e o amor que o amigo dedica aos amigos, como demonstra esta carinhosa homenagem feita meritoriamente em seu louvor.

    O soneto está magnífico, gostei bastante...
    No entanto, tenho um reparo, nós humanos não somos flores e sabemos apreciar a beleza em qualquer idade...
    Sabemos que são as flores que não especialmente vistosas que exalam perfumes excepcionais e que o perfume adensa-se no seu final vital.

    Dias muito agradáveis em terras e areias de Santa Catarina,
    em companhia da muito amada família.
    ~~~ Abraço amigo ~~~

    ResponderExcluir
  10. Confesso que não conhecia, mas foi bem ter oportunidade de ler!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  11. Muito lindo o poema e reflexivo,amigo.

    Fiquei feliz a ler ser comentário no meu blog.

    Será que ainda me segue? Há muito tempo não o via no meu espaço.

    Veja se ainda me segue,pois perdi muitos seguidores.

    Eu não o seguia porque pelo tempo,pensei que nem tinha mais o blog,mas o sigo agora.

    Obrigada pela visita,volte sempre e comente se anda é meu seguidor para que eu o coloque na minha lista de blogues para receber suas atualizações.


    Obrigada pela visita e carinhosos comentários.Volte sempre!

    Beijos sabor carinho e um fim de semana de paz e alegrias

    Donetzka

    Blog Magia de Donetzka

    ResponderExcluir
  12. Muito bonito este poema.

    R: Obrigada pelo seu comentário, um abraço.

    ResponderExcluir
  13. Linda homenagem! As melhoras do Sr.Rodrigo Bom fim de semana! Cumprimentos

    ResponderExcluir
  14. Não conhecia o senhor António Rodrigo de Haro, mas fui logo pesquisar. Que obras magníficas! Desejo, sinceramente, as suas melhoras! Que recupere a saúde rápido!

    Já agora, também gostei bastante do soneto!

    ResponderExcluir
  15. Por certo proporcionou momentos que fizeram toda a diferença em sua vida!
    Gostei de conhecer!!!
    Bom sábado

    ResponderExcluir
  16. Não conhecia esse senhor, por isso gostei desta partilha que abriu os meus horizontes. Desejo as melhoras e que recupere. E que belo soneto. :)
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir

  17. Mesmo sem o conhecer, acredito que merece essa sua homenagem. Amigo, tenha um fim de semana em paz. Abraços

    ResponderExcluir
  18. Bello homenaje, precioso poema, mis felicitaciones, y que tenga una pronta recuperación. Gracias por compartir un lindo soneto.

    Un abrazo.

    Lola.

    ResponderExcluir
  19. Muchas gracias amigo por tu hermoso comentario escrito en versos...
    lo guardaré.
    pronto publicaré el segundo capítulo y espero que te gustará
    El soneto tuyo es precioso a la vida y por fin al mejor de los mejores regalos de la vida "El amor"
    un abrazo

    ResponderExcluir
  20. Destaco el calor y la fuerza de tu amistad con, Antonio Rodrigo, cuya vida es toda una aventura, y lo mejor sentido por lo humano, que se traduce, más allá de su vida, en el amor por el arte. Quien ama el arte ama la vida.
    Tu soneto ejemplarmente lírico, musical y en su contexto, en una metáfora del amor, con el símil de la rosa. Mi abrazo. Carlos

    ResponderExcluir
  21. Muchas gracias por tu visita y comentario en mi blog.Saludos cordiales

    ResponderExcluir
  22. Buenos días amigo...gracias por tu saludo y atención a mi visita .
    Será un placer seguir gozando de tu talento y amistad ...
    Feliz domingo.
    UN AFECTUOSO SALUDO.

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Olá Silo!
    A verdadeira amizade é algo belíssimo!
    Fiquei sem palavras. A sério!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  25. Profunda y sentida amistad que tienes con Antonio hace de este soneto una gran pieza hermoso te ha quedado Felicidades seguro es un merecido homenaje Feliz domingo un abrazo desde mi brillo del mar

    ResponderExcluir
  26. Laerte, não conheço esse senhor, mas pela amizade, e pedido de melhoras tão sincero, acredito que vai ficar bom :)))
    junto-me a esse circulo da amizade!
    continuação de um bom domingo

    Angela
    também gostei de conhecer a tradição que se partilha !

    ResponderExcluir
  27. Boa Noite Laerte,
    Em resposta ao comentário que me deixou, informo que o Pedro, não resistiu aos graves ferimentos. Partiu.
    http://infocul.pt/cultura/emocao-e-lagrimas-no-adeus-pedro-primo/

    ResponderExcluir
  28. Gostei desta homenagem ao Rodrigo de Haro... O soneto é muito belo.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  29. Bela homenagem!
    E mais uma vez, obrigada pelo seu comentário no meu blog (respondi-o lá mesmo)!
    O Rodrigo está recebendo visitas?
    Abraços!

    ResponderExcluir
  30. Deus é maravilhoso e milagres acontecem todos os dias. Ter a certeza do reviver de um amigo é uma felicidade sem fim. Bela homenagem!
    Abraços e uma semana feliz!

    ResponderExcluir
  31. Ola Laerte!
    Muito obrigada pela visita e por ter gostado do meu espaço.
    Gostei do seu blog, tem bastante cultura e que história!
    Melhoras ao seu amigo Rodrigo.

    Abraços e ótima semana!

    ResponderExcluir
  32. Caro Laerte,

    Comovente a história com o teu amigo, os gestos da
    amizade no sublime da solidariedade!...

    O belo soneto na tua arte, que valoriza o mais importante
    na vida, que é o amor.
    Acompanhando aqui esta tua arte que aprecio
    imensamente, caro poeta!!
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  33. Uma comovente homenagem a um amigo renascido.
    Gostei muito do seu gesto e da excelente qualidade poética do seu poema.
    Continuação de boa semana, caro Laerte.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  34. Si, cuando un amigo se va, se va algo de uno mismo, no sé si una canción lo dice... Mas, es así de verdad.

    Bello homenaje para un buen amigo, felicidades. ¡Y esos exquisitos dibujos! Bien merecen un aplauso prolongado.

    Gracias, por darnos tanto y tan hermoso. Es todo un placer pasar por esta tu casa y leer tus bellos sonetos.

    Un cordial saludo: y se muy -muy feliz.

    ResponderExcluir
  35. Pois é, meu amigo Laerte, aí está Rodrigo de Haro em plena recuperação. Isto fiquei sabendo por ti, nesta postagem. Da mesma forma estou sabendo que o artista está ainda hospitalizado, por problemas de saúde relacionado com o sistema circulatório, e que tu foste chamado por ele, para visitá-lo no hospital, visita que pelo visto fez muito bem a ele.
    Não tive a oportunidade de conhecer pessoalmente Rodrigo de Haro, mas há alguns anos tive a oportunidade de adquirir um de seus quadros, em estilo abstrato, com cerca de 1,10 x 90 cm. Também comprei um de seus livros de poemas, há alguns anos, na cidade de Canela, cujo título é "Amigo da Labareda", com ótimos poemas.
    Vamos ficar por aqui torcendo para que o Rodrigo se recupere o mais rápido possível, para voltar à sua casa, pelo que sei na Lagoa, em Florianópolis.
    Como falei de poema, não poderia deixar de falar no soneto que escreveste para esta postagem, com o título de, O AMOR, que tem belos versos, como este, que peço licença para transcrevê-lo:

    "A beleza vital de uma donzela
    É passageira – foi e será assim.
    Teve começo, o ciclo terá fim
    Na complexidade tão singela."


    Parabéns pela postagem e pelo excelente soneto de tua lavra.
    Um grande abraço para ti e para o Rodrigo de Haro.
    Pedro

    ResponderExcluir
  36. Belíssima arte sem dúvida e a poesia se encaixa belamente! Aprender a multiplicar é ofício para a vida toda! Abç!

    ResponderExcluir
  37. Alegra-me que a Felicidade possa morar dentro dos corações; que os amigos se tornem eternos; que a Vida seja maior que o tamanho que dela tomamos.
    Impressionante o teu belo testemunho posto em Post.
    Parabéns pela tua dedicação. Quem será o Humano que não sinta orgulho dum Amigo assim.


    Abraço
    SOL

    ResponderExcluir
  38. Um ser humano que pelo seu relato merece todas as homenagens. Parabéns amigo pela homenagem ao seu amigo.
    Para que esse fim de semana seja de muita paz, amor e esperança de dias melhores, deixo esse pensamento da Ana Carolina:
    “Diga o que você pensa com esperança.
    Pense no que você faz com fé.
    Faça o que você deve fazer com amor!”
    Abraços da amiga Lourdes Duarte.

    ResponderExcluir
  39. Que quadros lindos bem como seu relato Laerte, nunca tinha ouvido falar desse fantástico artista. Que sortudo ele, ter um amigo atencioso pronto par atendê-lo no momento crítico. Melhoras a ele , desejo.
    Agradeço o lindo poema deixado em meu bog como comentário.
    Tenha uma noite feliz.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  40. Todas as palavras são, por aqui, de grande elevação: da solidariedade, à arte e ao amor. Muito grata, caro amigo Laerte.

    ResponderExcluir