Linguagem[+]

sábado, 28 de maio de 2016

Flor do meu sonho

Te amo como um grito planetário
Ouvido aos quatro ventos recordados
De uma tarde mansa de setembro.
Te amo em primavera do teu corpo
Plantado em flor do amor jovem nascido.
Amo mais forte só pensar em ter-te
Como uma brisa mansa que se lança
Na minha tarde vã de esquecimento.
Qual vaga-lume, com um lume de sonho,
Eu sonho e desabrocha a brisa em flor
Dando mais luz ao limiar cerrado
De meus olhos imaginativos como a alma os fazem.
E na pequenez deste meu ser que sonha há mais.
Há um sonho enorme a realçar teu vulto de concreto ser,
Um ser que é doce como a brisa mansa e primaveril.

Nenhum comentário:

Postar um comentário